Blog de informações sobre hip hop, rap brasileiro e cultura de rua

Conheça o rap de Curitiba, a “cidade zero grau”

Cabes é um dos principais representantes da nova safra do rap curitibano (Divulgação)

Cabes é um dos principais representantes da nova safra do rap curitibano (Divulgação)

“Manguebeat versão moleton” – Parte I

A cidade de São Paulo é considerada o berço do rap nacional. Não à toa, claro, já que foi batendo latas na estação São Bento do metrô, na capital paulista, que o rap brasileiro começou a dar seus primeiros passos, em 1985. De lá para cá, mais de 20 anos se passaram e a cidade seguiu como grande referência quando o assunto é ritmo e poesia no Brasil. Nesse meio tempo, porém, artistas de outras regiões se destacaram e conseguiram dividir a atenção dos holofotes com a capital paulista.

Foi assim em Porto Alegre (RS), com o Da Guedes; no Rio de Janeiro (RJ), com MV Bill e o rap irreverente trazido pelos integrantes do Quinto Andar; em Brasília (DF), que conta com representantes como GOG e Viela 17, e possui uma cena muito forte; no Nordeste, com grupos como o Faces do Subúrbio, Clã Nordestino e, mais recentemente, Costa a Costa e Inquilinus. E agora, chegou a vez de outra cidade integrar a ‘elite’ do rap nacional: Curitiba, no Paraná, também conhecida como a “cidade zero grau”.

Os beatmakers

Cabes, Cilho, Dario, Nave, Nel Sentimentum, Spektrum… Se você não acompanha a cena do rap alternativo, então provavelmente ainda não ouviu falar de nenhum ou da maioria desses nomes. E, sinceramente, pode ser que nem venha a conhecê-los. Isso porque eles são alguns dos ‘operários’ do rap, aqueles que trabalham na construção das músicas que chegam aos seus ouvidos. No rap, eles são conhecidos como beatmakers (“fazedores de batidas”) ou produtores.

Pois bem, todos os nomes citados acima são de beatmakers oriundos de Curitiba. De alguns anos para cá, esses e alguns outros produtores da cidade, influenciados principalmente pela escola de Dj Premier, Pete Rock e J. Dilla, ganharam visibilidade ao terem seus beats lançados em discos de diversos artistas paulistanos, como do Contra Fluxo, Dj Caíque, Emicida e Kamau. Mais recentemente, porém, alguns deles conseguiram feitos bem mais impressionantes, que reservam ótimas expectativas quanto ao trabalho dessa turma no futuro.

Nave, que também é integrante do grupo Savave, foi quem deu a tacada mais certeira. É ele o autor do instrumental de “Desabafo” (Deixa, deixa, eu dizer o que penso dessa vida…), hit de Marcelo D2 que ficou entre as músicas mais tocadas do ano passado e continua sendo um sucesso nas pistas do país. “Felizmente tive a graça de emplacar esse hit com o Marcelo, o que me possibilita atualmente viver de música, mas principalmente me dá novas oportunidades pra seguir trampando”, afirma ele, que finalmente pôde largar o emprego ‘chato’ que tinha para se dedicar exclusivamente ao seu trabalho.

Os outros não ficam atrás. Dario, um dos que mais se destaca atualmente, já produziu beats para expoentes do rap internacional, como Muneshine, Jazz Addixx e o português Valete. Outro beatmaker, Cabes, foi há pouco tempo um dos vencedores do Skyzoo “Strung Out” Remix Challenge , um concurso de remixes promovido pela Coalmine Records com uma música do MC nova-iorquino Skyzoo. “O prêmio foi eles colocarem a música pra vender no iTunes junto com o cd digital do Skyzoo. Ainda ganhei um lançamento pela Coalmine Records e a oportunidade de ter feito o remix oficial do disco”, afirmou Cabes. O download desse remix pode ser feito no illRoots .

E por que será que o trabalho desses caras está repercutindo tanto? Alguns deles explicam:

Cabes

“Acredito que seja devido ao fato de alguns de nós (eu, Cilho, Nave) termos iniciado juntos a produzir. Desde o início sempre tivemos uma confidência na troca de informações. Quando um descobria passava pro outro e vice-versa, e isso ajudou muito no desenvolvimento pessoal e artístico de todos nós. Como estávamos juntos, um tentava fazer algo diferente do outro, sempre de uma forma mais criativa, ou de um jeito totalmente inovador, justamente pra não ficar parecido, o que, inclusive, acontece até hoje.

Em seguida outras pessoas interessadas em compartilhar desses conhecimentos foram chegando, que é o caso do Spektrum, do Nel, Dario. E esse espírito de produção na verdade está cada dia mais intenso, isto é, não tem hora pra fazer som, toda hora é uma boa hora de produzir ou escrever ou algo relacionado. Às vezes produzo um beat, aí vou ligar pro Nave ou pro Dario pra contar sobre e os caras também tão na mesma, produzindo algo. É até daí que vem o nome do meu disco, ‘Todo dia é assim’, então já viu…”

Nel Sentimentum

“Acho que esse reconhecimento está sendo conquistado através da soma dos talentos. É mais ou menos aquele ditado: ‘A união faz a força’. Acho que nós, aqui de Curitiba, evoluímos bastante e muito rápido devido à nossa convivência. Sempre nos reunindo pra fazer som juntos, todo mundo indo na casa de todo mundo, repassando as informações, discutindo sobre música, vivendo a parada de maneira natural, mas sempre buscando a evolução e o profissionalismo”.

Dario

“Acho que antes de tudo, cada um estudou bem o rap antes de começar a fazer, para poder prezar na qualidade. A gente sempre trocou muitas informações , buscamos os mesmos objetivos com intensidade e muita dedicação, fazemos sessões de beats e rimas sempre que podemos, e acho que são fatores que contribuem também. O interessante é que, apesar de estarmos sempre juntos, cada um desenvolveu seu estilo próprio de produção, criando sua própria identidade. Isso é muito legal, estamos sempre na mesma sintonia, é louco”.

Nave

“Antes de qualquer coisa, vale ressaltar que o skate é muito presente no cotidiano da cidade, e com certeza isso se reflete na nossa música. Quanto ao destaque de alguns artistas daqui, se você buscar na raiz, vai ver que todos que são ‘comentados’ são muito amigos há anos, ou seja, crescemos nos influenciando e isso deve ter criado um padrão de qualidade entre a gente. Nós somos uma versão de moleton do Manguebeat cantando rap, guardadas as devidas proporções (risos)”.

-> Continue acompanhando o Per Raps para conhecer mais sobre o rap e a cena de Curitiba, que a cada dia ganha mais força no cenário nacional. Outras partes dessa matéria serão publicadas nos próximos dias.
___________
Exposição

Vai até o próximo dia 20 a exposição de stencil, Viva a vida stencivamente, na Tatooholic Custom, em Curitiba. Não Perca!

FLyer_tras_copy__________
Festas

cartaz2

Hip Hop Casa Cheia com Cabes  e Kamau em Curitiba @ Z. Music Club
Endereço: Al. Augusto Stellfeld, 264, Centro – Curitiba
Telefone: (11) 2574-1444
Preço: Homens R$ 15,00 ou R$ 20,00 e ganha o CD “Todo dia é assim” / Mulheres R$ 10,00 ou R$ 15,00 e ganha o CD “Todo dia é assim”
__________
Festa de 40 anos Kl Jay

Kl Jay comemora seus 40 anos com festa no próximo domingo (9) (por Luiz Pires)

Kl Jay comemora seus 40 anos com festa no próximo domingo (9) (por Luiz Pires)

Uma seleção especial de Dj’s, contando com Silvinho, Grand Master Ney, Hum, Betão e César, e Dj’s que integraram equipes como Chic Show, Kaskatas e Zimbabwe, fazem parte da festa em comemoração aos 40 anos de DJ KL Jay.

Passou o tempo, mas o respeito prevalece. De lá pra cá, o contato entre eles passou por “trombadas” casuais em saguões de aeroporto, reencontros em hotéis de outras cidades, um telefonema aqui e ali para falarem sobre a adesão ou não às novas tecnologias. “Chamar esses Dj’s para a festa é também comemorar 20 e poucos anos de discotecagem, não só os meus 40”, enfatiza KL Jay, retribuindo tantos outros convites que lhe foram feitos pelos Dj’s que, no próximo dia 9, vão agitar a pista-de-dança da Joy, com meia-hora de seus sets cada um. Como manda o script, o Dj anfitrião fecha a noite.

Dj Kl Jay comemora 40 anos @ Joy Club
Endereço: Rua Deputado Lacerda Franco, 343
Informações: (11) 3813.3008 ou acesse http://www.joysoulclub.com.br
Entrada: R$ 20,00 (com flyer, R$ 15,00)

Aproveite e confira, no site Central Hip Hop, a edição número 7 da Revista Bocada Forte, onde o Dj Kl Jay é o personagem principal. As matérias dessa edição foram desenvolvidas pela equipe do Per Raps.

Anúncios

7 Respostas

  1. aLienação aFroFuturista

    classe A a materia a materia sobre Cwbeats e tb achei muito bom o conteudo do site.
    parabens

    abrass
    a.a

    http://www.myspace.com/alienacaoafrofuturista

    agosto 11, 2009 às 19:51

  2. Mc Rob

    Cwb é noiz

    agosto 18, 2009 às 01:15

  3. Pingback: Rapevolusom.com » Blog Archive » EM REDE: Especial Curitiba: “Manguebeat versão moleton”, a cena Hip-Hop curitibana.

  4. Aê! CWB é foda! Orgulho de ser delá tb!

    junho 24, 2010 às 19:03

  5. Pingback: » Blog Archive » “Manguebeat versão moleton”, a cena Hip-Hop curitibana

  6. é muito bom ver a cena do rap se expandindo pelo brasil inteiro,melhor é ver que no paraná tambem existe uma galera antenada no rap e na música em geral,parabéns a essa nova escola vida londa com certeza.

    julho 17, 2010 às 11:26

  7. parabéns a rapaziada que faz o rap acontecer no paraná e no brasil,vida longa a nova velha escolha do rap brasileiro.

    julho 17, 2010 às 11:27

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s