Blog de informações sobre hip hop, rap brasileiro e cultura de rua

Doncesão – Primeiramente (2008)

Capa do CD de estréia de Doncesão

Capa do Cd de estréia de Doncesão

Uma das raríssimas novidades do rap nacional neste ano, Doncesão lançou seu disco de estréia, Primeiramente, há cerca de um mês. O álbum do rapper de flow agressivo, morador da Casa Verde, zona norte, traz como destaque a participação de Dj Caíque, que produziu todas as faixas e se firma, definitivamente, na linha de frente dos beatmakers da cena alternativa.

Gravado, mixado e masterizado no estúdio 360 graus records, que também é um selo independente, o disco conta com instrumentais que não ficam devendo em nada para o que está sendo feito lá fora. Prova disso é que Caíque também é integrante da Creative Juices Crew, de Nova Iorque, fazendo a ponte São Paulo – Brooklin.

O Dj também é um dos poucos a produzir discos inteiros de rap no Brasil. Primeiramente é seu terceiro trabalho, fora as dezenas de faixas produzidas por ele espalhadas por coletâneas e CDs de grupos nacionais. Antes, vieram a coletânea Coligações Expressivas (2006) e o CD Assim que eu sigo (2007), de Nocivo Shomon. O selo de Caíque ainda acaba de lançar É o terror (2008), com Dr. Caligari, e tem mais um disco no forno. Por tudo isso, mesmo ainda pouco conhecido, o 360 graus é um dos coletivos mais produtivos do momento.

Apesar dos “poucos” 22 anos de idade, Doncesão inicia o CD contando a história de sua vida na música-título, Primeiramente. Se a idéia parece pouco original, não se pode dizer o mesmo da música e de sua letra, o carro-chefe do disco. Em um lindo instrumental, uma mistura de trompetes e violinos, o MC relata sua trajetória de forma bastante atraente, incluindo um episódio em que o pai foi baleado, sempre enfatizando seus laços familiares. Fugindo do convencional, Doncesão ainda realiza todos os seus agradecimentos e até se emociona no final dessa primeira faixa.

A música seguinte, Quem é Doncesão? é, como sugere o nome, mais uma apresentação, embalada por um sample de violão rápido tocado num ritmo bem latino. A levada do rapper também se destaca nesse som, principalmente no refrão, acompanhando o sample. “Quero a vitória e não posso negar, mas levo a honra em primeiro lugar, quem não conhece eu vou me apresentar: Doncesão”.

A mesma fórmula é utilizada nas músicas Sai Uruca e Ninguém é mais que ninguém, que não funcionam com tanta eficiência. Apesar dos refrões previsíveis e pouco contagiantes, as letras e levadas dos versos nessas duas faixas fazem o contrapeso necessário para garantir a qualidade de ambas. Na primeira, a levada rápida é o destaque, aliada ao bem desenvolvido tema de mandingas, zicas e derivados. Já na segunda, o diferencial fica por conta da levada bem marcada pelas caixas.

Os outros dois maiores destaques do disco foram deixados para o final. Eu deixo a vida suspirar conta com um beat primoroso de Dj Caíque, com samples de piano e vozes femininas muito bem encaixados. A letra faz uma análise dos tempos (“Passado, futuro, presente, não ajuda, não atrapalha, parceiro, então sai da frente”) e o flow do MC nesse som é bem pra cima. Não é à toa que essa tenha sido a música que mais agitou o público durante o primeiro show de Doncesão, na festa do Programa Freestyle, no Café Aurora, realizada há alguns dias.

A outra ‘paulada’ é Davi, o verdadeiro gigante, com mais uma levada devastadora do rapper. O instrumental dá o clima de uma luta de boxe, no melhor estilo Rocky, e é também o tema desenvolvido na letra, onde Doncesão faz uma analogia dos obstáculos enfrentados nas batalhas da vida com a história bíblica de Davi e Golias

Para todos os gostos, o disco tem ainda uma faixa numa pegada mais gângster, É pra quem flagra, com participação de Jpnk, a +ou-umminutoemeio, gravada em cima de uma base de jazz, e até uma num estilo Frank Sinatra, Sonho (pt. 1).

Os beats do Dj Caíque são uma atração à parte no disco, acompanhados por um Doncesão que oscila um pouco nas letras, mas revela um ótimo flow e surge como mais uma promessa no cenário do rap nacional, já que este é apenas seu primeiro trabalho. Que fique registrada a coragem do rapper, que se arriscou ao lançar um CD independente com apenas 22 anos de idade em um momento de estagnação do mercado. Para quem reclama da panela e das poucas oportunidades do rap, Doncesão, Dj Caíque e todo o coletivo 360 graus são exemplos a serem seguidos. Do-it-yourself!

Anúncios

2 Respostas

  1. SUMEMO EDUARDO…DONCESAO…360º…CORRENDO NAS RUAS…TRAMPANDO…FAZENDO ACONTECE…CHEGANDO…
    TAMOJUNTO…PAZ

    JPNK…
    R.A.

    outubro 11, 2008 às 18:50

  2. RENATO

    Pessoal,

    Sou produtor da rádio Faap e preciso muito do contato do Cesar (Doncesão), gostaria de tocar uma de suas músicas na rádio, alguem sabe algum contato dele para me passar?

    Qualquer coisa meu e-mail é renatoprata.b@gmail.com

    Abs

    novembro 6, 2008 às 16:01

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s