Blog de informações sobre hip hop, rap brasileiro e cultura de rua

beatmakers

Scratch: The Ultimate DJ

Antes de mais nada, gostaríamos de esclarecer que ainda não tivemos a oportunidade de testar o jogo e que este não é um post patrocinado (mas gostaríamos muito que fosse e, se os fabricantes estiverem procurando gente pra testar no Brasil, vem cum nóiz!).

Um novo caminho para os DJ’s (a evolução do Serato) – por Daniel Cunha

Um dos motivos pelos quais o Hip Hop possui uma estética tão atraente para a publicidade (principalmente lá fora) é o modo como consegue capturar e prender a atenção das pessoas. O freestyle para o MC, o break para o b-boy e o grafite são artes complexas para quem faz, mas simples de serem assimiladas e admiradas por quem está vendo de fora.

No caso do DJ, responsável pelo comando das festas, há ainda algo que chama mais atenção: as performances. E nelas, o centro das atenções é o scratch, a arte de riscar os discos de vinil e tirar deles sons completamente diferentes do que qualquer outro instrumento é capaz.

Mas por mais que a atividade do DJ de performance seja tão chamativa, iniciar uma empreitada nessa área não é tarefa das mais fáceis e poucos são os que se arriscam a começar do nada. É quase uma regra que os maiores DJ’s de Hip Hop que conhecemos começaram por influência e incentivo de alguém que já era DJ, seja um familiar, um amigo, um tutor. São raríssimos os casos de Disc Jóqueis autodidatas. A maior razão para isso é, certamente, o preço dos equipamentos. Para se aventurar nessa área, são necessários no mínimo um par de toca discos e um mixer, e você dificilmente conseguirá adquirir um combo desses por menos de R$ 2 mil.

Aos poucos, a tecnologia nos apresenta alternativas que podem amenizar esse problema, e um dos grandes avanços pode estar chegando em maio, diretamente do mundo dos games: Scratch: The Ultimate DJ, que será lançado para Playstation 3 e Xbox 360, utiliza um sistema semelhante aos jogos DJ Hero e ao clássico Guitar Hero, e promete reproduzir sensações reais de scratch e beat making aos jogadores.

A plataforma foi desenvolvida por profissionais da Numark, conceituada marca de equipamentos para DJs. O controle foi batizado pelos criadores de scratch deck. Com cinco botões idênticos (tanto na aparência quanto na funcionalidade) a pads de MPC, um prato para o vinil e um crossfader, o resultado, pelo menos pelo que vimos dos vídeos até agora, é impressionante.

Os responsáveis garantem uma resposta de torque (motor dos toca discos) do prato idêntica à de equipamentos recentemente lançados pela empresa; ou seja, a real sensação de estar controlando um toca discos. Nas palavras do Dj Nu-Mark, do grupo Jurassic 5, que está participando da promoção do game, “depois de jogar o jogo, o próximo passo dos jovens será o de se arriscarem em toca discos e MPCs reais”.

Além dos objetivos pré-estipulados pelo jogo, o jogador poderá participar de sessões de freestyle de scratches, o que aumenta ainda mais a característica de introdução ao mundo dos DJs. Com cerca de 60 músicas (predominantemente de Rap), o jogo ainda terá uma sessão de estúdio, onde o aspirante a DJ poderá importar um sample específico para ser usado com as outras músicas, buscando uma ainda maior interação dos participantes com o video game.

O site Radar Urbano anunciou há alguns dias que o jogo contará com seis personagens DJ’s: três homens e três mulheres, e que, entre a trilha sonora, poderemos encontrar nomes como Kanye West, Beastie Boys, Run DMC, Black Eyed Peas, Eric B and Rakim e Tech N9ne, entre outros.

Mais informações no site do jogo Scratch: The Ultimate DJ.

Anúncios

Nel Sentimentum – Sentimentumlogia (2008)

Nel Sentimentum (Imagem retirada do Flick Upgroundbeats)

Nel Sentimentum (Imagem retirada do Flick Upgroundbeats)

Aproveitando a vinda do emcee curitibano Nel Sentimentum para o Indie Hip Hop 2009, o Per Raps fechou uma parceria relâmpago com o excelente blog de resenhas Boom Bap, do jornalista carioca Felipe Schmidt, para publicar aqui sua resenha do disco “Sentimentumlogia”, lançado no final do ano passado.

Vale lembrar que os ingressos do Indie começaram a ser vendidos hoje (10), então é bom correr pra já garantir o seu e não correr o risco de ficar de fora. O preço dos ingressos e a programação você pode conferir direto no site do Sesc.

Confira:


Nel Sentimentum – Sentimentumlogia (2008)

Ao longo da vida do rap e das intermináveis e pretensiosas discussões sobre como se deve fazê-lo, um atributo sempre foi ressaltado em consenso: o sentimento. No Brasil, onde o gênero ainda não alcançou todas as suas possibilidades, tal característica é, mais do que bem-vinda para um artista, praticamente um pré-requisito para não desistir do sonho de viver de música. Então, nada mais justo do que se incorporar o sentimento, certo? E quando isto se torna tão imprescindível que vira até nome artístico? Este é o caso de Nel Sentimentum, um emcee e beatmaker de Curitiba, vivendo com seu sobrenome há quase dez anos dentro da cena.

SENTIMENTUMLOGIA-CAPA

Depois de tanta batalha, o cara lançou seu primeiro trabalho solo, o álbum “Sentimentumlogia”, no fim de 2008. Condene o injustificável atraso deste(s) blog(s) para falar sobre o disco, pois o registro faz parte da linha de frente da safra curitibana de raps. Combinando, como o próprio Nel diz, “rimas de verão com beats de inverno”, o emcee/produtor leva o ouvinte para uma viagem interessantíssima na mente de um jovem adulto nascido e criado numa das cidades mais importantes do país, e ainda assim fora do tradicional eixo Rio-São Paulo.

O resultado é um álbum com o qual todo e qualquer pessoa entre as duas e três décadas de vida pode se identificar facilmente. Musas inspiradoras que se tornam demônios depois de conquistadas, rolês pela noite curitibana, falsos amigos, questionamentos sobre o futuro; está tudo registrado nos versos de Nel de forma sincera e, claro, com muito sentimento, ainda que alguns destes temas já sejam recorrentes na cena alternativa brasileira. E há também outro ingrediente importante na lírica do emcee, como explicitado logo na introdução, “Sentimentulogia”: a positividade.

Esta abordagem positiva tem forte ligação com a produção do disco. A influência do jazz e da música brasileira é visível logo nas primeiras notas que são ouvidas. Nel dilui tais referências numa direção mais suave, tranquila, com bastante atenção aos detalhes, o que resulta num clima bem relaxante ao longo de todo o álbum. Este modus operandi poderia ser denominado como um jazz-rap da melhor qualidade, mas vai além, e talvez esta seja a contribuição mais importante de “Sentimentumlogia”: a presença maciça de samples nacionais na produção, manipulados de uma forma que se encaixam perfeitamente na proposta de sonoridade dos beats. Em vez do jazz-rap, um mpb-jazz-rap.

E é quando esta mistura está  em potência total que os destaques aparecem. “Feito músicas de Elis” é um ótimo storytelling, e conta como Nel encontrou aparentemente sua alma gêmea, para logo depois encontrar-se num dilema: ou a menina ou a música. A simples existência do disco já mostra a escolha do emcee. A forma como ele descreve a musa, o encontro entre ambos e os momentos bons e ruins do relacionamento é divertidíssima, apesar de alguns escorregões na escrita.  O beat, que combina acordes de violão a pianos discretos, é mais um ponto forte da faixa.

“Bóra pro role” é uma canção mais leve, uma narração descritiva da noite de Curitiba, sobre metais apropriadamente funkeados. “Pilantragem”, que trata de um tema presente em 11 de cada dez discos de rap do Brasil, chama a atenção justamente pela batida, com o violão novamente assumindo o comando e ditando o clima da música. Por fim, a contemplativa “O amanhã” é um momento de reflexão interessante, cheio de divagações, sobre um groove positivamente preguiçoso.

Com “Sentimentumlogia”, Nel prova mais uma vez a qualidade do rap feito, não só em Curitiba, mas no Brasil como um todo. Um trabalho de produção que não fica atrás de nenhum lançamento americano, com valorização da cultura nacional, o que é sempre muito bem-vindo. Mais um tempo maturando sua escrita, e o jovem curitibano tem tudo para tomar o país inteiro de assalto e ser um expoente da nova geração de emcees brasileiros. O sentimento, o mais importante, ele já tem.

Nel Sentimentum acabou de lançar um novo single, chamado M.C.E.E. e você ouve e lê tudo sobre a nova música no blog Boom Bap.

Mais em:
Myspace
Twitter


Som novo!

Chegou no e-mail

Chegou no e-mail!

Você, assim como a gente, sabe da dificuldade para divulgar sons quando você ainda está começando – ou até mesmo depois de um bom tempo na batalha! Como muita gente manda o trabalho pra gente e o Per Raps acredita que pode ajudar na divulga desse material, estreamos hoje a coluna “Chegou no e-mail”.

O funcionamento é beeeem simples: você manda a música em mp3 pra gente, no nosso e-mail (perrapsblog@gmail.com), com o assunto [Chegou no e-mail]. E a gente vai fazendo coletâneas dessas músicas, sem julgamento de valor, estilo ou qualquer outra coisa.

Nessa primeira edição, que ficou mais longa do que a gente imaginava, você vai ouvir gente de vários lugares do Brasil, pra provar que talento tem em qualquer lugar, basta encontrar as coisas certas!

Invasão dus Ratueiras – Um belo dia
supeR.atos – Batida dessa vida
Suite 702 – O telefone dela
Bgame – Luz da Vida
Inquilinus – Nossa Canção
Calibre MC – Dinheiro e Mulher
Fex Bandollero – Encontrei
Preto WO – Só tirando onda
Divox e B.I.G. – Nosso Hino
Dalmatas – Você sabe o que fazer
Versu2 – Que som é este man?
Homens do Pântano – Gravidade zero


Liga dos Beats, RZO e Agenda nova!

liga

Se liga na Liga! – por Carol Patrocinio

A Liga dos Beats são oito beatmakers participando de duelos mortais – perdeu, vai embora. Quem apresenta a festa e de quebra ainda faz um show é o MC Projota, acompanhado pela discotecagem do Dj Zala. Quer saber quem são os caras que vão encarar isso? A gente os apresenta pra você!

Dario
Campeão da Battle Beats Brasil de Curitiba em 2008, produz trilhas para vídeos de sk8 e propagandas. Nasceu em Ponta Grossa, mas desde 2002 mora em Curitiba. Começou a produzir instrumentais e trilhas em 2005.

Dj Nato
É Dj desde 1996, produtor desde 2001 e faz parte do selo independente Pau-de-dá-em-doido. No final de 2007 lançou seu primeiro trabalho solo, uma mixtape produzida por ele mesmo. Atualmente produz o álbum solo do MC Arnaldo Tifu, com previsão de lançamento para dezembro de 2009, e o volume 2 da coletânea do selo Pau-de-dá-em-Doido, previsto para 2010.

Dj RM
Campeão do DMC World Dj Championship Brasil, que representará o país entre Djs de 27 países. Amante do funk soul desde criança, iniciou o interesse por discotecagem no início dos anos 90. É do Clã Leste, por convite do Dj Erick Jay e Dj Zulu, e ataca atualmente como produtor musical. Toca atualmente com o Rapper Xis.

Dj Akilez
Voz, kaos pad, escaleta e programações do Projeto Nave, banda vencedora do festival Skol Rock 99, que se apresentou no mesmo palco que Bad Relligion e Offspring. Como prêmio receberia um contrato com uma major de renome, mas recusou a premiação por não haver acordo entre as partes para o caminho sonoro proposto pela banda.

Dj Zala
Na cena Hip Hop desde 1999 como grafiteiro, Zala encontrou no Rap a forma artística ideal para sua expressão. Foi campeão do concurso de beats promovido pelo Blog Boom Bap.

Rashid
Desde adolescente nas batalhas de freestyle, conseguiu vários títulos consecutivos na “Batalha do Santa Cruz” e na “Rinha dos MC’s” (organizada por Criolo Doido), onde consagrou-se um dos únicos MC’s que levaram pra casa o troféu “Galo de Ouro”. Participou do documentário “Freestyle – Um Estilo de Vida”, acredita na mensagem, na vida que a música tende a passar.

Munhoz
MC do grupo Contra Fluxo, Munhoz ministra oficinas voltadas à ressocialização de jovens em diversas unidades de internação provisória da Fundação Casa em São Paulo e é professor de produção musical no Centro Cultural da Juventude, pelo projeto Mais Clássicos Hip-Hop.

Sala 70
Pianista dos 7 aos 14 anos e contra-baixista dos 15 pra frente, tornou-se Dj aos 20 e beatmaker em 2003. Hoje é cozinheiro profissional, começou produzindo Techno, Drum’n’Bass e Underground, com o nome artístico Makinäria. O Sala 70 surgiu em 2006, com foco na utilização de samples da década de 70 com o intuito de acrescentar algo diferente na cena Hip Hop Brasileira. É o último campeão da Battle Beats e grava, atualmente, um disco com o Espião (Rua de Baixo)

No fim da noite você ainda pode curtir um show do RZO, com Helião, Sandrão e DJ Cia, que estão de volta a atividade e apresentam músicas que você já conhece e outras quentinhas, saindo do forno! O evento faz parte do Hip Hop Fest, que continua amanhã com um programação muito boa e grátis!

Serviço
Quando? Sábado, 17 de outubro, a partir das 16h
Onde? Centro Cultural da Juventude (Av. Dep. Emílio Carlos, 3641, Vila Nova Cachoeirinha – SP)
Quanto? Grátis

————-mes no per raps

Agenda nova!

Viu o novo esquema de agenda do Per Raps? Corre lá e conta pra gente o que achou!


Filme de B.I.G será exibido em SP

“Notorious – Nenhum Sonho é Grande Demais” chega às telonas da Olido – por Eduardo Ribas

Há um tempo atrás, muito se falou do filme que gravaram sobre a vida do MC de NYC, Notorius BIG. No entanto, o filme não chegou a ganhar destaque e acabou ficando restrito a internet. Aliás, muita gente assistiu o tal filme pela web mesmo, já que não encontrou facilmente pelo circuito. Alguns esperavam vê-lo na mostra Hip Hop no Cinesesc, mas esse ano infelizmente o evento não rolou.

Pois saiba que finalmente suas preces serão atendidas! Uma parceria entre a Fox Home Entertainment, Cine Olido e a produtora brasileira Hacienda DC trouxe o filme para ser exibido em duas sessões neste sábado, dia 17 de outubro. A entrada? Um quilo de alimento não perecível (exceto sal). A idéia é destinar esses alimentos arrecadados para entidades de auxílio a crianças, idosos e carentes de SP.

Sobre o filme
“Notorious – Nenhum Sonho é Grande Demais” foi lançado oficialmente em 2009 e foi dirigido por George Tillman Jr, conhecido pela sequência de filmes “Barbershop”. A história conta a trajetória de Christopher Wallace, que viria a se tornar um dos maiores MC’s do planeta. [E me refiro aqui a qualidade lírica do cara!]. A narrativa segue desde a infância em um colégio católico, até a juventude como traficante, passando pela sua repentina paternidade, que o obrigou a ter mais responsabilidades. O filme segue retratando também um pouco da vida de Biggie Smalls intercalando os papéis de pai e rapper.

O elenco conta com nomes como Angela Bassett (de ”Malcom X” e ”Sr. e Sra Smith”), Christopher Jordan Wallace (filho de Notorious), Jamal Woolard (que interpreta BIG adulto e é também um MC na vida real), Anthony Mackie (o “Papa Doc”, do filme “8 Mile”), Kevin Phillips (do filme “Pride, Orgulho de uma nação”) e Marc John Jefferies (que interpretou o jovem 50 Cent em “Fique rico ou morra tentando”).

Nota interessante: a família de BIG se envolveu bastante no projeto, sendo que a juventude do rapper é retratada por seu filho na vida real, Christopher Jordan Wallace. Além disso, quem assina a produção do longa é a mãe de Biggie Smalls, Voletta Wallace.

notorius

Serviço:
Dia 17 de outubro de 2009 (sábado)
Sessões: 17h30 e 19h30
Local: Cine Olido (SP)
Endereço: Galeria Olido – avenida São João, 473, Centro, São Paulo/SP
Não recomendado para menores de 18 anos

____________

Liga dos Beats

Liga-dos-Beats-webNão deixe de prestigiar também a Liga dos Beats, que vai rolar neste sábado (17), na CCJ. Amanhã traremos mais informações sobre o evento.

Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso (CCJ)
Anfiteatro – av. Dep. Emílio Carlos, 3.641 – Vila Nova Cachoeirinha – Norte.
Telefone: 3984-2466.
Quando: Dia 17, às 16h
Tem acesso para deficiente. Não tem local para comer.
Grátis. 220 lugares.