Blog de informações sobre hip hop, rap brasileiro e cultura de rua

agenda

Segundo semestre recheado de shows internacionais

“Declarando falência por motivos culturais” – por E. Ribas

O segundo semestre de 2010 está repleto de apresentações internacionais no Brasil. Nomes como Erykah Badu, Lauryn Hill, Rage Against the Machine, Cypress Hill, Jamiroquai Anti-Pop Consortium estão entre aqueles que farão show por aqui. Variando do rap até o funk e o soul, esses nomes prometem causar boa impressão.

O grande problema dessa leva de shows é o valor, que na maioria dos casos é bem salgado. No entanto, vale a pena economizar um pouco na balada (ou seja no que for) para curtir ao menos um desses. O Per Raps aproveitou para destacar alguns desses shows e mostrar quais nós indicamos, mostrando o que de melhor você poderá encontrar em cada um deles.

Há boatos que Jay-Z também virá para o Festival SWU, mas ainda não houve confirmação oficial.

Anti-Pop Consortium

Anti-pop Consortium

Pela primeira vez no Brasil, o quarteto nova-iorquino Anti-Pop Consortium traz as novidades de seu último álbum, o elogiado “Fluorescent Black” (2009). Conhecidos por seu quê visionário, o grupo é considerado à frente de seu tempo e de tudo que o mundo conhece como hip hop. Formado em 1997 por Beans, High Priest, M. Sayyid e o produtor Earl Blaize, o Anti-Pop ficou parado por quase sete anos, mas mostra que ainda tem muito o que mostrar ao público.

Se sua ideia é fugir do convencional, então vale a pena ir ao show para conhecer uma forma diferente de se pensar o hip hop hoje em dia. Mas não se espante com as bases eletrônicas, os broken beats, o barulho e a interferência que você ouvirá, afinal esse é para muitos o grande trunfo do Anti-Pop Consortium. Completando a programação do SubRapCombo, M.Takara junto de R. Brandão (Mamelo Sound System) e Afasia (Carlos Issa e Akin).

Erykah Badu

Erykah BaduPara mais informações e novidades exclusivas, siga o Per Raps no Twitter!

Sua primeira apresentação por aqui já faz tempo, rolou no finado Free Jazz Festival há 13 anos. Quem foi diz ter sido um dos melhores shows vistos em terra brasilis. E não tenha duvidas disso! Erykah não é do tipo que produz hits fonográficos, apesar de vez ou outra aparecer nas paradas e ter seus videoclipes presentes na programação de canais dedicados à música (no Brasil, nem tanto).

Por incrível que pareça, o ponto forte dessa apresentação não deverá ser seus álbuns anteriores – Baduizm (1997), Mama’s Gun (2000), Worldwide Underground (2003), New Amerykah Part One (4th World War) (2008) -, e sim seu mais novo lançamento, New Amerykah Part Two (Return of the Ankh) (2010), um dos álbuns mais românticos e bem dosados (com beats mais orgânicos) da cantora, sendo também muito bem recebidos pela crítica.

Apenas o time da produção do disco já garantiria o sucesso, contando com pedradas do novato James Poyser, além do saudoso J-Dilla, Questlove (The Roots), Madlib e 9th Wonder. Sobre o que esperar do show? Tom intimista e soul hipnótico da melhor qualidade.

Lauryn Hill

Lauryn Hill

Conhecida por ser MC e cantora de um dos grupos mais celebrados do rap, o Fugees, Miss Hill sobe aos palcos brasileiros pela segunda vez. No entanto, desde a última vez não houve muita novidade da norte-americana, musicalmente falando. Depois de começar sua carreira solo com o bombástico The Miseducation Of Lauryn Hill (1998), a MC teve problemas com sua gravadora e viu sua produção musical decair.

Na primeira passagem de Lauryn por São Paulo (2007), o som, que parecia ter uma potência muito maior do que a casa comportava (Credicard Hall), deixou muitos fãs com um zumbido nos ouvidos por alguns dias (!). Isso comprometeu todo o show. Para piorar, Miss Hill não parecia estar no auge de sua empolgação.

Para esse novo show, Lauryn traz um único lançamento desde sua coletânea “Ms. Hill” (2002), a música “Repercussion”. Já é um sinal de retomada, mesmo o som sendo uma peça única. No mais, sempre vale a pena relembrar ótimas músicas como “Doo Wop“,“Everything Is Everything” e “Ex Factor“.

Rage Against The Machine

Rage Against The Machine por Tobin Voggesser

Se você tem ao menos 20 e poucos anos pode curtir um pouco da fúria das letras de Zach de La Rocha, juntas dos riffs distorcidamente impressionantes de Tom Morello em sua adolescência. Há quem curta rap e torça o nariz para Rage Against the Machine, no entanto o conteúdo das rimas de Zach desintegra muito discurso de rappers wannabe por ai. Sem contar com a musicalidade do grupo, que não se contenta com o destaque vocal e “guitarrístico”, mas traz o ótimo baixista Tim Commerford e baterista que maltrata as baquetas (positivamente falando, claro), Brad Wilk.

O RATM terminou no início dos anos 2000, após a saída de Zach de La Rocha, no entanto os integrantes remanescentes embarcaram junto do vocalista Chris Cornell (ex-Soundgarden) no projeto “Audioslave“. O grupo foi bem e rendeu boas músicas, mas para a felicidade dos fãs, Zach retornou em 2007 e vários shows foram marcados pelo mundo inteiro para celebrar a nostalgia.

Nada novo deverá ser apresentado, mas levando em conta que é a PRIMEIRA apresentação do grupo por essas bandas, vale a pena apertar o cinto e pagar R$ 190 (uooow!) para vê-los.

Anti-pop Consortium no SubRapCombo 2010
Quando?
28 de agosto (sábado), às 21h
Onde? Choperia do SESC Pompéia
Quanto? R$ 20,00 [inteira], R$ 10,00 [carteirinha, +60 anos, professores da rede pública de ensino e estudantes com comprovante] e R$ 5,00 [trabalhador no comércio e serviços matriculado no SESC e dependentes]
Classificação: Não recomendado para menores de 18 anos
O Anti-pop Consortium também se apresenta no SESC São Carlos (27/08) e no SESC Ribeirão Preto (25/08).

Erykah Badu em São Paulo
Quando? 29 de agosto, a partir das 20h
Onde? Credicard Hall – Av. das Nações Unidas, 17.955
Quanto? entre R$ 100 e R$ 400, com direito à meia-entrada
Informações: http://www.credicardhall.com.br / (11) 4003-6464

Lauryn Hill em São Paulo
Quando? 7 setembro de 2010, às 21h30
Onde? Credicard Hall (Av. das Nações Unidas, 17.955 – Santo Amaro)
Quanto? de R$ 100 a R$ 250. Podem ser adquiridos pela internet (www.ticketsforfun.com.br)
Informações: http://www.credicardhall.com.br e (11) 4003-6464
A cantora se apresenta em Florianópolis no dia 3 de setembro no Stage Music Park, no dia 6 no Citibank Hall no Rio de Janeiro e termina sua passagem pelo Brasil com um show em Brasília, na Prainha da ASBAC, dia 12.

Rage Against the Machine no SWU Music and Arts
Quando? 9 de outubro de 2010
Onde? Fazenda Maeda (Rodovia SP 75 Santos Dumont, Km 18 Sul, em frente a balança, sentido Itu/Sorocaba.)
Quanto? de R$95 a R$560 [Ponto de venda: Ginásio do Ibirapuera (Rua Manoel da Nóbrega, 1361, Paraíso, São Paulo) ou http://www.ingressorapido.com.br]
Informações: http://www.swu.com.br

O que achou dos shows? E dos preços? Vai em alguma apresentação? Comente!


Conheça a 1º Mostra Urbanidades

mostra urbanidades

Fazia tempo que São Paulo esperava que um evento viesse ocupar o lugar vazio deixado pelo extinto festival de cinema que rolava no CineSesc, a Mostra de Filmes Hip Hop de São Paulo. Quem conheceu sabe a importância do evento pra gente que curte cinema e a cena hip hop. Ali rolaram filmes que você não conseguia ver em mais nenhum lugar. E essa é a cara da 1ª Mostra Urbanidades.

Filmes que você ouviu falar, leu sobre, mas não sabia onde assistir, shows bacanas com gente que tá com a carreira fresquinha e gente que já tem estrada, além de oficinas pra você mergulhar de cabeça na cena hip hop.

Pra facilitar, aqui vão alguns destaques do evento, mas a programação completa você vê na imagem abaixo e pode acompanhar o que está rolando no blog da mostra.

Programação 1ª Mostra Urbanidades

Clique para ver a programação completa

Destaques

Eu, o vinil e o resto do mundo (Lila Rodrigues e Karina Ades/Brasil, 2008)
Sesc Santana, 27/07 às 20h e Galeria Olido, 28/07 às 17h e 31/07 às 19h30

Motoboys – Vida Loca (Caio Ortiz/Brasil, 2003)
Galeria Olido, 24/07 às 19h30 e 30/07 às 15h

Onde a coruja dorme, Bezerra da Silva (Márcia Derrak e Simplício Neto/Brasil, 2001)
Matilha Cultural, 29/07 às 19h

Pixo (João Wainer e Roberto T. Oliveira/Brasil, 2009)
Matilha Cultural, 23/07 às 19h e Galeria Olido, 24/07 às 17h e 28/07 às 19h30

Versificando (Pedro Caldas/Brasil, 2009)
Galeria Olido, 27/07 às 15h e 31/07 às 17h

Pra começar bem a semana, nessa terça-feira (13) rola no Sesc Santana a Oficina de MC com Kamau, Projota e Rashid, às 17h e depois a exibição do filme “Freestyle, um Estilo de Vida”, de Pedro Gomes, às 20h.

Tudo grátis e da melhor qualidade! Vai colar?

1ª Mostra Urbanidades
Quando? Até 31 de julho
Onde? Galeria Olido (Av São João, 473, Centro/SP), Matilha Cultural (R Rego Freitas, 542, Centro/SP) e Sesc Santana (Av Luiz Dumont Villares, 579, Santana/SP)
Quanto? Grátis, exceto na Galeria Olido, que custa R$ 0,50 e R$ 1


Skatistas invadem Avenida Paulista

“Mais skate, por favor” – por Carol Patrocinio

E se a avenida mais famosa de São Paulo, cartão postal da cidade, fosse dominada por skatistas com seus carrinhos e o barulho ensurdecedor de rolamentos correndo no asfalto? Pois é isso que vai acontecer neste domingo (20), durante a comemoração (antecipada) do Go Skateboarding Day.

Wild In The Streets Brasil 2010

O evento pode ser considerado um flash mob, já que não tem uma equipe organizadora e deixa claro que é apenas uma session de skate para comemorar o dia. A ação já acontece em outros lugares do mundo e é promovida pela Emerica, é o Wild In The Streets, unindo skate, manifestação pacífica e os melhores e mais tradicionais picos das cidades.

A antecipação da comemoração do Go Skateboard Day deu-se por causa do trânsito caótico de SP. Já que o objetivo é sensibilizar os moradores da cidade através de uma boa impressão causada por skatistas não dava para atrapalhar a cidade com o evento, né?

E como qualquer mobilização, o Wild In The Streets São Paulo que chamar atenção para algo. Nesse caso é a prática do skate nas praças públicas, de maneira civilizada, sendo uma opção de cuidar de áreas livres urbanizadas. A intenção é que a prática seja uma ferramenta pra humanizar estes espaços.

Ninguém deu autorização para que todo mundo andasse de skate nas ruas de São Paulo, mas quem vai impedir que você circule em paz pelas ruas da cidade num domingo de manhã? É seu direito e, feito com segurança, não tem porque causar problemas. O evento é um encontro entre amigos que curtem andar de skate. Vocês é um deles? Então está convidado!

Wild In The Streets Brasil 2010

Pra você se animar ainda mais, vai rolar um Best Trick na Praça Roosevelt em formato de jam na borda de mármore. Serão anunciadas as melhores manobras a cada 10 minutos. E chegando no Pátio do Colégio rola um desafio de manobra de solo.

Algumas dicas que estão sendo divulgadas pelo pessoal que vai participar:

– Não ocupe as ruas antes das 10 da manhã, fique nas calçadas da Paulista antes das 10, vamos deixar o transito fluir normalmente antes do evento.

– Lembre-se que só iremos conseguir realizar o evento com sucesso se soubermos nos manter agrupados, por isso fiquem próximos e respeitem as instruções que serão dadas pelo megafone.

– Uma vez dada a largada e em movimento pela Paulista e Consolação, vamos nos locomover todos juntos, respeitando ao próximo e evitando acidentes e colisões.

– Haverá uma Van na nossa frente que estará ditando o passo. Vamos ficar sempre atrás dela. Na Consolação vamos realizar uma breve parada pra agrupar todos pra uma foto da descida em frente ao Cemitério. Não perca, essa vai ser uma das fotos mais clássicas da história do skate na cidade de São Paulo!

– Saindo da Praça Roosevelt mais uma vez é importante nos mantermos em grupo, pra garantir boa presença de skatistas andando juntos em direção ao Teatro Municipal/Viaduto do Chá, o qual cruzamos e passamos pela Praça Patriarca em direção ao Patio do Colégio.

– Haverá um encerramento pra TV no Pátio do Colégio, porém logo após ainda vamos pro Vale do Anhangabaú, sessão final nas bordas do Vale antes do jogo!

Wild In The Streets Brasil 2010

Wild In The Streets Brasil 2010
Quando? Domingo (20), encontro às 9h30 e saídas às 10h, pontualmente.
Onde? Da Av. Paulista, em frente ao Banco Central (wallride), até o Vale do Anhangabaú, no Centro de SP, com paradas na Praça Roosevelt, Pátio do Colégio e Vale do Anhangabaú.


Virada Hip Hop no Espaço +Soma

Virada Hip Hop Espaço +Soma

Quando a vontade é mais fortepor Carol Patrocinio com entrevista de E. Ribas

Resolvemos focar nisso porque é um negócio que tem que ter, não tinha como fazer outra coisa se o rap estava praticamente fora da programação da Virada” – Tiago Moraes, um dos organizadores do Espaço +Soma

Quem não ficou indignado com a falta de respeito e oportunidade que o rap recebeu neste ano na programação da Virada Cultural da cidade de São Paulo? Ainda que alguns representantes da cena se apresentem em locais afastados ou como Djs – mesmo a organização chamando de outro nome que não rap ou Hip Hop -, faltava alguma atitude em relação a isso.

A gente reclamou aqui no blog, outras pessoas reclamaram em seus veículos e meios de comunicação, mas quem colocou a mão na massa pra mudar as coisas foi a equipe que cuida do Espaço +Soma. O Eduardo Ribas bateu um papo com o Tiago Moraes, que arregaçou as mangas e foi atrás de um jeitinho, junto com a galera da revista, para mostrar que o rap pode muito mais do que a prefeitura gostaria.

“A gente tava querendo fazer uma coisa mais oficial, mas quando a gente viu isso (o vídeo do organizador da Virada Cultural falando do rap) resolveu fazer do nosso jeito. O rap sempre tem espaço na revista +Soma, todo mundo curte por aqui, quando a gente viu o que tava acontecendo vimos que não fazia sentido não focar no rap. A gente viu que um monte de gente ia ficar órfã”, explica Tiago.

E realmente, os órfãos agradecem. Os caras fizeram uma lista, convocaram a galera que podia ajudar a organizar tudo com rapidez e ligaram pro Kamau, a Stefanie, o Rincón [Sapiência, entrevistado na última edição da revista] e o Akira, além do Edu (d’A Filial e curador musical do espaço) e o Akin, que são prata da casa.

“A gente nunca faz mais de um show, rolou no ‘Presença Feminina’, mas a gente tenta fazer só um show e sempre mais cedo. Chegamos a pensar em fazer alguma coisa com 24 horas, mas seria muita loucura. Depois pensamos em fazer algo estendido, com programação indo das 8h até às 3h. Apesar de ter rolado em cima da hora estamos divulgando bastante porque a gente quer que venha bastante gente e é gratuito, democrático”. A gente também espera que o espaço fique cheio de gente bacana provando que o rap é educado, civilizado, não precisa de revista policial e nem ser jogado para as margens da cidade.

Quem vai na Virada Hip Hop?
Shows de A Filial(RJ), Akira Presidente (RJ), Rincón Sapiência, Stefanie, Kamau, Akin e discotecagem do DJ Tamenpi (RJ)
Quando? Sábado, 15 de maio às 20h
Onde? Espaço +Soma (Rua Fidalga, 98, Vila Madalena – São Paulo)
Quanto? Grátis
O que mais? O espaço tem um café, que vende comes e bebes, além disso, quem quiser ir de carro pode ficar tranquilo que tem um estacionamento logo em frente que ficará aberto até às 5h.


Dia da Consciência Negra ’09

O dia 20 de novembro foi escolhido para representar o Dia da Consciência Negra no Brasil. O motivo: nessa mesma data, em 1695, morria Zumbi os Palmares, símbolo da resistência negra em uma época em que a escravidão negra dominava o país. Desde lá, segue a luta pela igualdade, tendo a cultura hip hop como um forte braço. O Per Raps destacou abaixo algumas atividades bem interessantes que vão rolar por diversos pontos no Brasil.

Em 2009,mais de 300 cidades adotaram o Dia da Consciência Negra. O feriado ainda não é considerado nacional e será facultativo em algumas cidades. Confira a lista das cidades que aderiram ao feriado.

[Alagoas, Jaraguá]
Em Alagoas, entre os dias 16 e 20, acontece no Museu da Imagem e do Som de Alagoas (Misa), em Jaraguá, o projeto Misa Acústico 2009. Na sexta-feira (20), Dia Nacional da Consciência Negra, o público confere a apresentação da Orquestra de Tambores, que será realizada na Praça Dois Leões, em frente ao Misa.

Todos os shows da programação estão marcados para as 20h30. Os ingressos custam R$ 5 (inteira) e R$ 2 (meia). O espetáculo da Orquestra de Tambores, na praça, será de graça.

[Bahia, Salvador]
Na Bahia, em Salvador, acontece no dia 24 de novembro (terça-feira), um ciclo de palestras e debates com os temas. Os temas serão diversos, entre eles: “A vida e obra de Lima Barreto”, “A importância de Cruz e Souza para Literatura Brasileira”, “Mestre Bimba: Símbolo da Cultura Nacional” e “A Revolta da Chibata”. Tudo acontecerá na Universidade Católica, na Avenida Joana Angélica, na Lapa, das 08h às 16h. Além disso, rola o lançamento do livro “Capoeira Angola: Educação Pluriétnica, Corporal e Ambiental”, do autor Jorge Conceição, às 16h.

No dia 28 de novembro (sábado), acontece o lançamento do CD do grupo de Rap Nova Saga, na Praça Tereza Batista, Pelourinho, às 19h, de graça.

[Paraná, Irati]
No Paraná, rola o “Seminário Identidade e Território: Negros na região Sul”, na cidade de Irati. De 16 a 20 de novembro, na Universidade Estadual do Centro-Sul, será feita uma reflexão crítica sobre a influência étnico-racial e a educação a serviço da diversidade na região centro-sul do Paraná, marcada pela imigração alemã, italiana, polonesa e ucrâniana. Endereço: PR 153, Km 7, Riozinho.

[Rio de Janeiro, Rio de Janeiro]
No Rio de Janeiro, rola um programa cultural com mostra de cinema com a “trilogia negra“, de Cacá Diegues no Centro Cultural Parque das Ruínas, em Santa Teresa, no centro, a partir da sexta-feira (20). Os filmes Gamba Zumba, Quilombo e Xica da Silva vão ser exibidos em três sessões diárias, até o domingo (29). A mostra inaugura a sala de cinema do centro com 80 lugares e terá entrada franca.

No Dia da Consciência Negra, a programação começa às 6h30 com a lavagem do Busto de Zumbi, na Praça 11, no centro do Rio, por integrantes do afoxé Filhos de Gandhi, e segue até as 19h, com shows de Arlindo Cruz, da bateria da Mangueira e da Acadêmicos do Cubango.

[São Paulo, São Paulo]
Em São Paulo, para entrar no clima do Dia da Consciência Negra, nada melhor que curtir nesta quarta-feira (18), o lançamento da mixtape do Dj Venom, do Projeto Manada, na Jive Club. A festa faz parte do projeto Hip Hop Series e contará também com a discotecagem do Dj Duenssa e pocket show com o UmDegrau. A Jive fica na Alameda Barros, 376, em Higienópolis. Os homens pagam 10 reais e mulheres, cinco.

Na sexta-feira (20), o evento de destaque tem início a partir das 10h, na Praça da Sé (programação completa), centro da capital paulista. Lá será possível ver o encontro de congadas e missa afro-brasileira com o Coral da Orquestra Sinfônica do Estado e o Coral da Família Alcântara na Catedral da Sé. No palco principal, rola a apresentação, a partir das 12h, o bloco afro Ilê Aiyê, Quinteto em Branco e Preto, vários DJs, Luiz Melodia, Elza Soares e Kamau, acompanhado de Jeffe nos vocais e do DJ Erick Jay.

Além deles, haverá um Momento Hip Hop, que também trará ao palco o rapper brasiliense Gog e o paulistano DJ King. Fechando esse importante momento, a DJ Vivian Marques assume os toca-discos até a próxima atração.

Ainda em Sampa, rola nesta sexta-feira (20/11) a tradicional “Rinha dos Mcs” com o grupo “Primeira Função”. Também participarão desa edição especial, os poetas Akins Kintê e Elizandra Souza, que recitarão versos sobre a consciência negra. Para completar, rola a tradicional discotecagem com os Dj’s DanDan, Marco e Kiko.

Quer saber de mais eventos? Confira nossa agenda especial Consciência Negra. Quer sugerir um evento? Mande para perrapsblog@gmail.com com o assunto [Agenda].


Lançamentos de 09: Pentágono

Pentágono

Dj Kiko, Massao, Rael da Rima, M'Sário e Apolo por Rogério Fernandes

O novo swing do Pentágono – por E. Ribas

Seguindo o papo com grupos e MC’s que estão lançando trabalhos neste fim de ano, agora a ideia segue com o Pentágono. Apesar do último trabalho, “Natural”, ter sido lançado no final de 2008, os integrantes do grupo decidiram compor mais sons, mostrando seus novos estímulos e influências. Além disso, a saída de Dodiman do grupo deixa um espaço a mais entre as rimas, que deverá ser preenchido com o esforço de Apolo, Massao, M.Sário, Rael da Rima e o Dj Kiko.

O EP, que contará com um som ao vivo, um remix e três sons inéditos, já tem data oficial para o lançamento: dia 28 de novembro, na Hole Club. A produção dos beats são de responsa de A.G. Soares (Apolo), Nave e Dj Primo, e a produça geral também é assinada pelo Time do Loko e o próprio Pentágono. O disco contará com participações especiais da MC Flora Matos, Projota e o saudoso Dj Primo. A masterização ficou por conta do Dj Roger.

Em dezembro, o grupo tem em seu cronograma uma apresentação no Indie Hip Hop 2009. Essa será a primeira vez que o quinteto pisará oficialmente no palco do Sesc Santo André. Aproveitamos a sequência de novidades para trocar uma rápida ideia com A. G. Soares (aka Apolo), que ressaltou que esse novo trabalho poderá soar mais “eletrônico” que os outros. Entre os assuntos, O MC e produtor comentou sobre detalhes da produção do EP, a satisfação de tocar no Indie 2009 e mais.

Aproveite e confira abaixo um video gravado no lançamento de “Natural”, que contou com a participação de Dj Primo na música “Swing”. Memorável!

[Youtube=http://www.youtube.com/watch?v=wHZpWQu0nOA]

Per Raps: Musicalmente, o que mudou de “Natural” para esse novo trabalho do Pentágono?
A.G. Soares/Apolo: Na real acho que não mudamos, mas amadurecemos muito de um para o outro, tanto pessoal quanto profissionalmente. Trabalhamos muito com o Pentágono durante esse ano de 2008 e isso naturalmente te ensina várias coisas que refletem na música. Creio que as músicas novas estão mais maduras, com mais experiência de vida mesmo, com rua, amor, indignação, musicalidade e pentágono.

Per Raps: O que os fãs do Pentágono podem esperar desse novo trabalho: muitas novidades ou uma sequência do trabalho anterior?
A.G. Soares/ Apolo: Bom… Resolvemos fazer esse EP pela necessidade de compor musicas novas, já que o “Natural” ficou um ano na geladeira (devido a problemas com a gravadora) e só foi lançado no final de 2008, então as músicas dele, que são de 2005, 06 e 07, para nós soavam antigas. Com isso, queríamos exercitar esse lado, já que só pretendemos lançar outro álbum em 2011. E, também para que nossos fãs não tenham que esperar tanto para escutar músicas novas, mas podem, com certeza, esperar um Pentágono diferente. Inovador, mas sem fugir de nossas raízes.

Per Raps: Na produção das faixas que você trabalhou, quais elementos você procurou agregar? Além disso, usou samples, colagens, algum instrumento gravado especialmente para uma determinada faixa?
A.G. Soares/ Apolo: Samples sempre. Porém, assim como no “Natural” tem várias coisas tocadas também, acho que isso já é uma característica marcante nas instrumentais do grupo, não tem como fugir muito disso. Mas, para mim esse projeto soa mais eletrônico que o outro.

Per Raps: Com a saída de Dodiman, o quarteto de frente vai mudar algo em relação ao trabalho anterior, o formato da música ou das rimas muda?
A.G. Soares/ Apolo: O Humberto participava ativamente das composições, então é claro que é uma cabeça a menos em todas músicas e isso pode soar diferente para algumas pessoas que acompanhavam o trabalho mais de perto, contudo estamos nos empenhando ao máximo para minimizar esse “problema” e que as músicas continuem soando como Pentágono.

Per Raps: Sobre o Indie Hip Hop 2009, como foi receber a confirmação de que o Pentágono se apresentaria e como será a concepção dessa apresentação: só haverá espaço para o trabalho novo ou os dois anteriores terão vez?
A.G. Soares/ Apolo: Foi a realização de um sonho, fomos a todas as edições do festival como público, e poder tocar no mesmo palco que o Mos Def vai ser foda! Sem contar os monstros nacionais que vão se apresentar. O show será curto devido o cronograma do evento, mas tocaremos o máximo possível entre músicas novas e antigas.

Mais em:

www.myspace.com/pentagono5
www.pentagono5.com.br

Lanc_P5_net

Lançamento EP Pentágono @ Hole Club
Dia 28/11/09
Djs Dandan e Yellow-P
Hole Club (Rua augusta, 2203)
Preço único $15 (com flyer $10)
*As 100 primeiras pessoas ganham o EP gratuitamente


Salve, Salve Cooperifa

Layout 1

Cooperifa realiza sua segunda mostra cultural em SP – por Eduardo Ribas

Antes a gente queria mudar da periferia, hoje, a gente quer mudar a periferia” Sérgio Vaz

Começou nesta segunda-feira a edição de número dois da Mostra Cultural da Cooperifa. Neste ano, atividades como exibição de filmes e debates farão parte do cronograma. Pela noite e em clima de festa, Sérgio Vaz subiu ao palco do CEU Campo Limpo para fazer a abertura oficial do evento.

O poeta reconheceu que a realidade dos “marginalizados” mudou de uns tempos pra cá. “Pra nós é uma honra dizer que a poesia é uma realidade na periferia”. E essa realidade já começa a ultrapassar fronteiras, fazendo as notícias correrem rápido. “Nós temos andado por aí e as pessoas estão maravilhadas com o que está acontecendo em São Paulo”, conclui Sérgio Vaz, que acredita que isso ainda é pouco.

Felizmente a perspectiva parece ser melhor do que a de oito anos atrás. E como tudo estava sério demais e “nem parecia festa de favela”, ele tratou de chamar, ali para o palco, os guerreiros e guerreiras que fazem poesia na periferia para animar o ambiente. Cada um recitou um verso rápido, arrancando risos e aplausos da platéia.

Antes deles, parceiros parabenizaram a Mostra e o trabalho dos poetas. Para fechar a noite, um show com Izzy Gordon, que empolgou com clássicos de Bob Marley (com direito a versos de “Nego Drama” em meio a “Turn your lights down low”), Ray Charles e Dolores Duran.

Imagem 017

Foto de Carol Patrocinio

As atividades da Mostra ocorrerão no CEU Campo Limpo e Casa Blanca, com exceção do show de encerramento, que acontecerá na Casa Popular de Cultura do M’Boi Mirim, e o sarau de comemoração de oito anos da Cooperifa, que vai rolar na quarta-feira lá na Chacára Santana, zona Sul, no bar do Zé Batidão.

Salve, salve Cooperifa!

Acompanhe a programação completa do evento.

—————–

boomshot

Foto retirada do MySpace e editada por Advan Shumiski

Corra para a Rádio BoomShot!

Não deixe de acompanhar hoje a transmissão ao vivo da Rádio Boomshot com entrevista exclusiva com o grupo People Under the Stairs. A ideia está marcada para começar às 20h, mas o Zeca MCA já deixou avisado que pode rolar alguns minutos depois. Afinal, essa será a primeira transmissão ao vivo da Boomshot.

Aproveitando o assunto, no dia 26 de outubro, aka segunda-feira que vem, vai rolar a gravação do programa Manos e Minas com os californianos do PUTS, às 13h. Quem quiser chegar, basta enviar o nome completo e o número do RG por email para manoseminasplateia@tvcultura.com.br até às 19h de terça-feira (21/10).

O Manos e Minas é gravado no Teatro Franco Zampari, que fica na Avenida Tiradentes, 451, próximo ao Metrô Tiradentes. É preciso chegar com uma hora de antecedência.

*Para quem não é de São Paulo, não dá pra participar, mas é possível assistir caso você tenha sinal de TV a cabo.