Blog de informações sobre hip hop, rap brasileiro e cultura de rua

Manos e Minas deixa grade da TV Cultura

Anúncio Manos e Minas

“Pra onde foi o respeito que o hip hop merece?” – por Carol Patrocinio com entrevistas de E. Ribas

Com um sonoro “Acabou” recebemos a notícia, do produtor Zeca MCA, que o programa Manos e Minas, da TV Cultura, havia oficialmente sido extinto. A alegação da emissora estatal é que isso ocorreu por “política da empresa” e que não tinha nada contra as pessoas envolvidas. “Tá todo mundo triste, mas sabemos que é um jogo de favores e favorecimento. O Manos e Minas não é um porgrama caro, então parece ser mais uma política da empresa de não querer falar com esse tipo de público. Cortaram as vias de acesso com a juventude”, explica o apresentador do programa, Max B.O..

Pra quem ainda não entendeu do que estamos falando, aqui vai a explicação. Nesta quinta-feira (5) pela manhã, todos que buscaram ler o jornal O Estado de S. Paulo*, se depararam com a seguinte afirmação do presidente da Fundação Padre Anchieta, João Sayad: “O Vitrine deverá ser suspenso para reformulação. O Manos e Minas sai da grade, assim como o Login. Em compensação, haverá um jornal com debates todo dia. Teremos sessões de cinema em acordo com a Mostra de Cinema de São Paulo”.

Para Max B.O. a conclusão é simples: “Eles dizem que estão sem orçamento, mas contrataram a Marília Gabriela. Eles preferem pagar duzentos pra um ou dois, que pegar duzentos e dar um pra duzentas pessoas”. Curiosamente terminam os dois programas direcionados aos jovens na emissora.

Manos e Minas/Foto: DJ Erick Jay

Depois de saber de sua demissão por uma mensagem de celular recebida de uma produtora que trabalha na emissora – “Força”, dizia o texto – Max chegou a conclusão de que “se os caras mandaram embora até o Heródoto Barbeiro“, não era o Manos e Minas que seria poupado. Saído do MC RAPorter da RedeTV!, o apresentador comenta que sabia que o trabalho ali não seria eterno: “Um dia eu sabia qeu deixaria de ser apresentador (do Manos e Minas), mas gostaria ir lá me apresentar como MC no programa”.

As especulações sobre o programa, que já teve nas pick-ups o saudoso DJ Primo, já aconteciam há alguns dias e rumores rondavam a internet. Alguns, como Paulo Henrique Amorim, do Conversa Afiada, acreditam ser uma ação partidária: “Maluf, Quércia e Fleury governaram São Paulo e respeitaram os princípios públicos da TV Cultura de São Paulo. Quem destruiu a TV Cultura foram os governadores que há 16 anos coronelizam São Paulo. Agora, José Serra joga a pá de cal”.

De acordo com a definição do site da própria emissora, a TV Cultura é uma “emissora de televisão brasileira de sinal aberto que oferece à sociedade brasileira uma informação de interesse público e promove o aprimoramento educativo e cultural de seus telespectadores”. Se é esse o objetivo, o que está acontecendo? Será que estão errando a mão na hora de ‘colocar ordem na casa’?

Por inspiração de seus fundadores, as emissoras de sinal aberto da Fundação Padre Anchieta não são nem entidades governamentais, nem comerciais. São emissoras públicas cujo principal objetivo é oferecer à sociedade brasileira uma informação de interesse público e promover o aprimoramento educativo e cultural de telespectadores e ouvintes, visando a transformação qualitativa da sociedade” Do site da Fundação Padre Anchieta

“Nossa plateia era de estudantes, o Manos e Minas valia como nota para quem relatava o que rolava no programa. Tinham salas que ganhavam o direito de ir ao programa como prêmio, sabe? Também iam pessoas de casas de assistência, pessoas com liberdade assistida…”, conta o apresentador. A pergunta que fica é: seria esse o problema?

Manos e Minas - equipe/Foto: Dj Erick Jay

Conversamos com algumas pessoas para saber o que acham das mudanças de rumo da emissora que teria, por princípio, a iniciativa de levar conteúdo de interesse público aos telespectadores. E pela movimentação acontecida no Twitter, que levou a tag #salveomanoseminas ao Trending Topics brasileiro, o público quer que o programa, e alguns outros da emissora, continuem na grade.

Para mais informações e novidades exclusivas, siga o Per Raps no Twitter!

André Maleronka – jornalista, editor da Revista Vice e colaborador da Revista +Soma

André Maleronka

Acho que isso significa uma ideia de cultura e de papel do Estado das quais discordo. As declarações do presidente da TV Cultura – ele menciona ineficiencia e inchaço do quadro de funcionários – são uma faca de dois gumes. Essa suposta eficiência: é de audiencia que ele fala? Uma Tv do estado não deveria ter isso como objetivo, na minha opinião. Inchaço: normalmente isso é causado por má administração. É o mesmo grupo que está no poder do Estado de SP há 24 anos.

Então é tudo muito esquisito. Mas acho que, resumindo bem, é isso: me parece uma ideia (ideologia neoliberal, na verdade) de cultura enquanto entretenimento e realização enquanto sucesso financeiro. Lamento, e acho uma visão de mundo bem rasa.”

Daniel Ganjaman – produtor musical, engenheiro, músico e DJ nas horas vagas

Daniel Ganjaman

Atualmente, o Manos e Minas é a única voz da cultura de rua na televisão brasileira. Vivemos um momento onde manifestações artísticas e culturais tem pouquíssimo espaço nos meios de comunicação de massa no Brasil. O Manos e Minas sempre foi um programa muito democrático, com espaço pra música, dança, arte, temas sociais e muitos outros assuntos que não são comuns na grade de outras emissoras. Além disso, havia o foco em temas ligados a periferia de forma criativa e produtiva, com ênfase nas manifestações culturais da comunidade – assuntos só abordados em outros programas com um certo ranso de ‘coitadinho’ ou de ‘caridade’.

Vejo que a situação é muito mais séria, já que está prevista uma demissão em massa e uma completa reformulação na grade da emissora. A existência da TV Cultura sempre foi um diferencial enorme dentro da programação da TV brasileira exatamente por se tratar de uma emissora estatal, sem um compromisso direto com os números de audiência. Isso possibilitava uma programação muito mais interessante e despretenciosa, o que é praticamente impossível numa emissora com interesses comerciais. Ao mesmo tempo, acredito que de certa forma esse é o caminho natural das coisas, já que hoje em dia é possível ter acesso a esse tipo de programação mais específica pela internet, onde o acesso vem ficando cada dia mais democrático. Sinceramente, acredito que a criação de portais de internet dedicados a essa cultura ou um upgrade nos portais existentes pode ser uma forma de cobrir parte desse buraco que ficará na ausência do programa Manos e Minas. Com certeza, uma perda irreparável”

Pedro Alexandre Sanches – jornalista cultural e autor dos livros “Tropicalismo – Decadência Bonita do Samba” e “Como Dois e Dois São Cinco”

Pedro Alex Sanches

São Paulo tem uma triste tradição no que diz respeito aos espaços reservados para manifestações culturais das populações menos favorecidas em geral. O hip-hop ocupa um lugar importante nisso que considero uma forma de discriminação, que a gente nota em episódios como a resistência da Virada Cultural em escalar rappers, ou esse agora com o programa “Manos e Minas”. Não é um problema só da TV Cultura, é muito mais generalizado, mas o triste, agora, é justamente a TV Cultura, talvez o único veículo de São Paulo que andava se preocupando, fechar o espaço que havia aberto. É um retrocesso, e, repito, esconde, sim, por trás uma carga forte de discriminação. Programas elitistas como o ‘Manhattan Connection’, do GNT, também dão audiências pequenas (e pouco lucro, imagino), mas não consta que pensem em tirá-los do ar por causa disso”

Leandro Roque de Oliveira aka Emicida – rapper e ex-apresentador de um dos quadros do Manos e Minas

Emicida

Desrespeitar o hip hop, infelizmente, já é uma característica de orgãos culturais, excluir o rap idem, mas o que me chocou nesse ‘cancelamento’ – coloco entre aspas pois até agora não fui notificado formalmente de minha demissão pela empresa que me ‘contratou’ e coloco entre aspas para ressaltar a importância deste contrato – foi o desrespeito a mim e a mais, aproximadamente, 20 pessoas que integram a equipe do Manos e Minas.

Fomos comunicados de nossa demissão (fora o resto das equipes dos outros programas também excluídos da grade), através de uma entrevista em um dos maiores jornais do país, cedida pelo novo presidente, João Sayad. Dizem que quando nos dirigimos a presidentes devemos expressar respeito utilizando termos como ‘excelentíssimo senhor’ e outras formalidades, mas de onde eu venho, não se deve mostrar respeito por quem não te respeita, e nesta atitude, no minimo bagunçada, da TV Cultura junto com essa nova diretoria, sobraram dúvidas, demissões, cortes e desrespeito pelas pessoas que dedicaram seus talentos à instituição.

Fala-se em construir uma nova TV cultura (excluindo programas culturais?), fala-se em reformular a grade, atrair o interesse da população (a mesma que era representada por um programa como o Manos e Minas), falou-se até em venda do terreno nestes últimos dias (que isso?). Eu não tenho palavras rebuscadas para enriquecer os textos como muitos, nem me considero tão inteligente assim, mas ontem fui a uma reunião em que ouvi ‘o programa é maravilhoso, o custo não é alto, dá uma resposta legal de audiência, mas está fora’.

Nunca vi aquilo como um emprego, assim como muitos da equipe como Truty, Zeca MCA, Max B.O., Erick Jay e outros que vivenciam o hip hop fora da sala de produção, víamos aquilo como uma oportunidade de levar a cultura, com a nossa cara, para nossos irmãos, aqueles que não se veêm representados nos artistas que vão no Faustão (com todo respeito a estes artistas), aqueles que já não têm acesso a saneamento básico, moradia, alimentação, educação decente e agora perdem seu programa companheiro dos sábados, onde podiam ter uma opção para fugir da programação nojenta da grade da tv aberta brasileira (salvo raras exceções).

Nos resta aguardar esta ‘nova TV Cultura’, que terá para sempre em sua história, este primeiro passo torto, como se tivesse sido empurrada por uma direção que se pautou pelo próprio umbigo. É ano de eleição, não faço campanha pra ninguem, acho que estamos ruim de opções, não acredito em coincidências nem gosto de ver caracteristicas comuns nos adversários (pois é assim que enxergo quem fecha portas para nós). Após ver estas características comuns o segundo passo é generalizar, coisa que também odeio fazer, e o terceiro passo é dizer: PSDB é foda”

Jair dos Santos aka Cortecertu – DJ, pesquisador e editor adjunto do site Central Hip-Hop

DJ Cortecertu

O Manos e Minas representa um dos braços do Hip-Hop na mídia, pois não é apenas um programa, o Manos e Minas é parte da retomada dos trabalhos que dão visibilidade ao Rap e à cultura de rua, numa articulação com outros estilos musicais como o samba-rock. Em dois anos de vida, o programa tratou com respeito nossa cultura.

Ao meu ver, o Manos e Minas poderia dar espaço para outros tipos de rap feitos por aqui, isso aumentaria a audiência e o poder de influência do programa. As manifestações em favor do programa pela internet mostram a diversidade em nosso cenário, artistas e curtidores de vários estilos divulgaram seu apoio, isso é um sinal, algo que precisa ser levado em conta para a resistência do Manos e Minas e para a criação de qualquer iniciativa semelhante”

Do outro lado do muro
Em comunicado oficial, a Fundação Padre Anchieta, responsável pela TV Cultura, explica os cortes:

tv-cultura

Em face às recentes notícias publicadas sobre a TV Cultura, informamos que:

Esta é a proposta de renovação que a Administração levará ao Conselho da Fundação Padre Anchieta: a revitalização dos programas admirados, a modernização dos processos administrativos, bem como dos equipamentos, e contando com os talentos que a emissora possui e com a contratação de novos apresentadores e jornalistas.

A TV Cultura é patrimônio querido dos paulistas e brasileiros, com um acervo de ótimos programas e vários artistas e jornalistas de sucesso que começaram aqui, mas que precisa se renovar. Perdeu audiência, qualidade e se tornou cara e ineficiente.

Mobilizações
Além da mobilização virtual para achar atenção ao caso levando a tag #salveomanoseminas ao Trending Topics brasileiro, acontecerão as demonstrações presenciais de insatisfação com a emissora. Veja qual o melhor dia e horário pra você fazer a sua parte e escolha sua manifestação.

Rinha de MC’s

Show do Emicida em Santos
Quando? Sexta-feira (6) às 23h
Onde? Club 49 (Rua Visconde do Rrio Branco n° 49 – Santos/SP)

Quer ler mais?
* No jornal O Estado de S. Paulo: “Sayad admite inchaço da TV Cultura, mas avaliará demissões caso a caso”

* No Conversa Afiada: “Tucanos fecham TV Cultura. Eles já têm a Globo”

* No Coletivo Action: “O fim do Manos e Minas?”

* No blog de Jéssica Balbino: “Salve Manos e Minas”

* No R7: “Fim do Manos e Minas causa protestos no Twitter”

* No blog Jornalismo B: “Comentários sobre uma emissora pública de televisão”

* Mídia Kit da TV Cultura: Saiba quem assistia a programação

* No Central Hip-Hop/Bocada Forte: “MobilizAção: militante quer acionar ministro pelo Manos e Minas”

Não confunda briga com luta. Briga tem hora pra acabar e luta é para uma vida inteira” Sérgio Vaz

O Per Raps agradece a ajuda de todo mundo que colocou no Twitter a tag #salveomanoseminas e ainda está colocando, além dos blogs e pessoas que ajudaram a fortalecer essa luta. Sem nomes porque quem fez sua parte, sabe. E quem não fez não merece nosso respeito.

Anúncios

24 Respostas

  1. RAS

    A educação de brasileiros da geração do Sr. Sayad infelizmente é braçal, e ainda não consegue assimilar que a cultura é um trabalho de verdade. As pessoas envolvidas e que trabalham na TV Cultura e tantos outros lugares envolvidos com a expressão do pensamento, são infelizmente tratados com desdém, e não tem previsão de mudança, com Serra ou Dilma, ficaremos estagnados a era do Café, Leite, Suco de Laranja e Pré Sal.

    A atitude do Sr Sayad é igual a de um latifundiário. Se algum trabalhador/animal está adoentado, é simples…. sacrifica/corta ele. Simples assim. Gestão genocída. [RAS]

    agosto 6, 2010 às 16:21

    • aline

      Concordo com a comparação ao latifundiário. Mas não era questão de eliminar o ‘adoentado’, que não era o caso do programa, e sim deixar parado um espaço fértil. Não planta, não investe, quer mesmo é emburrecer o rebanho. Triste…

      agosto 7, 2010 às 17:42

  2. suely castro mello

    Se não se conhece uma plantação, como se chega com um Massy Ferguson destruindo o que o outro semeou com dedicação?
    Se não se conhece a terra, como vai escolher uma boa semente para um novo plantiu?

    agosto 6, 2010 às 17:03

  3. Cara, só uma palavra: tristeza.
    Mandei um recado para a central de relacionamento da TV Cultura. Eles me responderam (porcamente). Postei no meu blog a resposta.

    agosto 6, 2010 às 17:43

    • Que bom que te responderam, Samanta!

      Vamos ficar atentos a essa história: “Cumpre acrescentar que a equipe envolvida na citada produção deverá ser realocada para as novas produções. Atenciosamente.”

      Parabéns pela iniciativa de buscar respostas e publicar em seu blog!

      agosto 6, 2010 às 18:33

    • “Deixamos nosso protesto com o apoio do Senador Eduardo Suplicy, e, com todo o respeito, pedimos a reavaliação sobre a extinção do programa Manos & Minas da grade de programação de uma emissora que representantes do hip hop acreditam ser séria e desprovida de preconceitos.”

      Trecho da carta entregue ao senador Eduardo Suplicy nesta sexta-feira (06/08), que será encaminhada para o presidente da TV Cultura, João Sayad. #salveomanoseminas

      agosto 6, 2010 às 20:15

  4. Dj Vito

    O hip-hop no Brasil não pode dar mais 2 passos para frente e regredir com 10 passos para trás,estamos em 2010,a evolução têm que ser constante e com esse tipo de corte duvidoso e misterioso, fica a prova de que o nosso futuro está cada evz mais comprometido com ações e projetos de conteúdo,porque perdendo esse ´´pouco“ espaço que têmos que é o programa ´´Manos e Minas“, infelizmente estamos sendo obrigados a ver crianças ganhando a ausência de uma das únicas opções didáticas e que geram perspectiva, consequentemente gerando a indução à programas apelativos,hipócritas que sensacionalizam a situação pobre de 1 famíla, para hipnotizar e sensibilizar milhares de outras famílias para que depois garanta seu ibope dando continuidade a programação com o sexo e a baixaria oculta… desse jeito a nossa ´´cultura“ vai longe e junto com ela vão as crianças…

    agosto 6, 2010 às 18:11

  5. É absurdo! Nada além de absurdo!

    agosto 6, 2010 às 21:18

  6. Senhoras e Senhores, Manos e Minas …é triste ver esse retrocesso e o tiro no próprio pé dado pela TV Cultura… excluindo a cultura da própria programação, não lamento só em nome da bandeira Rap/Hip Hop ou Periferia/Minorias.Ela (tv cultura) está excluindo principalmente o jovem que amanhã lobotomizado e carente de um veículo que respeite seus anseios e necessidades,não terá alternativas para fugir de uma programação que só romantiza e adula suas aspirações mas, que não lhe oferece suporte. Segregando assim mais uma vez o acesso à sua própria identidade.
    Em outras palavras mais um motivo pra não ligar o seu televisor !!!

    agosto 6, 2010 às 22:04

  7. O descaso com os produtores culturais ou agitadores culturais não é de hoje, esse governo nunca se interessou por opiniões ou trabalhos de artistas que não refletem seus pensamentos, precisamos de um governo que acredite e saibam que todas as manifestações culturais merecem respeito, seja ela qual for, se a maquina inchou “desinche”, descarte metade da parentalha de cargos de confiança e invistão na arte, façam um levantamento minimo o quanto de anunciantes proliferaram nessa emisora, a TV Cultura devia dar exemplos , seus administradores deveriam dar exemplos, a Fundação devia dar exemplo e não executar trabalhadores em prol do bem estar de alguns, voces são concessionarios e não donos, se houve má administração, demita-se o administrador, o trabalhador não pode pagar por isso, todas as tribos devem se juntar a esse descasso e protestar. Na visão deles nesse caso “Manos&Minas” não contempla a visão burguesa que eles pregam, porém, a solidariedade da periferia estara sempre junto, que tal uma manifestação de todos na frente da emissora , nos moldes do programa mostrando que só temos ARTE.

    agosto 6, 2010 às 23:43

  8. Triste saber a Tv Cultura era a única emissora aberta que abria as portas pro hip-hop, e agora esta fechando na cara de muitas pessoas que queriam o Programa Manos e Minas no ar!

    agosto 6, 2010 às 23:53

  9. Q vergonha! TV “Cultura”.

    agosto 7, 2010 às 03:31

  10. Isso é muito ruim mesmo. porem creio que o caminho é que cada vez mais venhamos a criar conteudo na WEB. E não se calar, pq c todo mundo resolver deixa pra la e fica em silencio, sera sempre assim.

    PAz A Todos humildemente.

    agosto 7, 2010 às 10:36

  11. Fbb

    Tudo isso é muito claro, “hip hop music” é diferente do rap, aqui no brasil rap é coisa de marginal, favelado, bandido, sofredor até porque os mais conhecidos são nascidos em favelas e falam sobre favelas e problemas, crimes e drogas, querendo dizer que através da musica querem mudar algo,não vai adiantar, a cada dia isso perde mais espaço do quase nada que ja tinha e era visto com maus olhos pelos engravatados,conservadores e religiosos. é só ver pelas letras, uma tv pública não quer abrir espaço para artistas que façam apologia com suas letras pesadas, o que temos que mudar na cena, é se espelhar cada vez mais na cena americana, todos artistas que faziam rap estão mudando de direção porque se antes não eram ricos, hoje em dia começam a morrer de fome, é como uma frase que li estes dias “se continuar a fazer sempre a mesma coisa nada irá mudar” se quisermos ganhar espaço, precisamos mudar o foco do “rap” vamo deixar mais pop, mais romantico, mais dançante, mistura o pop,r&b,dance,eletro com letras inteligentes e ai o começo pode ser que comece a andar, porque sem investimentos ninguem vai longe, mas se tiver no caminho certo os faturamentos aparecem a longo prazo e dará para comeaçr a investir na carreira, fazer cd, clipes, divulgação etc… a hip hop music não pode ter um espirito marginalizado, parem de fazer clipes em favelas, vão fazer clipes em bairros nobres, com mansões, carros importados, muitas mulheres bonitas, é assim que fazem na gringa e é assim que a parada da certo

    agosto 8, 2010 às 07:00

    • Olha, não sei de que país você está falando, mas se você começar a olhar a rua e o Brasil de boa parte de nós vai perceber que não é bem desse jeito. Conheço muita gente (pra não falar de mim mesmo) que só foi ver um carrão e uma mansão depois de uns 15, 16 anos de vida.

      Não é a nossa vida, não é o nosso mundo.

      E quanto mais profundamente a música brasileira se espelhar no que vem de fora, mais vamos criar artistas genéricos, sem idéias que funcionem ou sejam válidas no nosso contexto. É OK que exista a influência, mas o hip-hop nacional é construído sobre uma base social que não permite ser afetada por nenhum tipo de popularização massiva que implique no empobrecimento dos ideais.

      Que sentido faria lutar pela preservação do Manos e Minas se ele só apresentasse artistas cheios de pose, tomando champagne, rodeados por garotas semi nuas e esbanjando o dinheiro que poucos poderão ver em vida?

      Se aqui queremos algo e criticamos a decisão da TV Cultura é porque o Manos e Minas é o único a se desvencilhar da programação burra que temos por aí, que trata a periferia como uma cidade do pecado, desregrada e desgraçada, quando sabemos que os bairros pobres são grandes celeiros de ótimos artistas, de engajamento, de atividade e da explosão cultural que temos hoje.

      O problema de pessoas como vc é pensar que podem fazer o que quiser do hip-hop, como um titereiro manipula seu fantoche. Você ainda não sentiu o peso que o hip-hop pode ter sobre você.

      E eu sou só um de nós.

      Um salve, Per Raps

      #salveomanoseminas

      agosto 9, 2010 às 19:24

      • Desculpem, no final é “Um salve Per Raps” sem a vírgula.

        Abraço

        agosto 9, 2010 às 20:16

      • Recado recebido e compreendido, Robazz.

        Salve, salve!

        #salveomanoseminas

        agosto 9, 2010 às 20:21

  12. Como é que é?… fazer clipes em bairros nobres, com mansões, carros importados, muitas mulheres bonitas? …

    Aham,, termino de gravar volto pra minha quebrada, rua de terra (barro quando chove), a dormir na minha cama encostada na parede sem reboco, de ônibus e com as mulheres da minha vida (que pra você não devem ser bonitas) …

    É por causa de Comédias iguais a Você, que os moleques estão escrevendo qualquer “merda”, fantasiados de “palhaços” americanos, chamando as minas de “bitches”, cantando pra playboyzinhos na noite, achando bonito, e que movimento Hip Hop é isso.

    Seu comédia, RAMELÃO!!

    agosto 8, 2010 às 14:18

  13. Fbb

    Ok, se a sua realidade é bem sinistra, seria uma ironia voce fazer musica deste tipo, agora lhe digo que fazendo os seus raps de sofredor, ninguem lhe dará ouvidos como nunca deram, a midia não abre espaço para esse tipo de música e para esse tipo de critica, não adianta ficar se lamentando nas suas musicas, nas suas letras, o que o pessoal quer é alegria e não sofrimento, você deve saber que o rap a cada dia perde mais espaço nesse pais, quem quiser fazer sucesso já sabe a fórmula, você pode até ficar revoltado com este fato de hip hop de playboyzinhos fazer sucesso e agradar, mas é o que o mercado fonográfico e a midia está aceitando em termos de “rap”

    agosto 9, 2010 às 17:30

  14. Manos & Minas, muita cultura e informação, apoio total aos jovens de SP, e do Brasil inteiro. Este é, com certeza, a maior GAFE da TV Cultura! Maais o que é bom não se vai pra sempre, vamos nos unir e agir! #salveomanoseminas Sintonia Crew abraça esta causa!

    agosto 10, 2010 às 14:28

  15. sikera

    Só uma coisa não podemos parar é de produzir as informações do hip hop. Esta atitude é normal de quem está no poder, nada demais. O que me irrita é ver os caras se humilharam pra ir em emissora Y e Emissora W para falar que “representou o rap , o hip hop “.
    Agora vamos nos calar??? Ainda existe a internet então bola pra frente.
    E lembrando este ano tem eleições, o hip hop até quando vai ficar sendo fantoche de partido a partido b???
    É o ano da vingança só digo isso.

    agosto 11, 2010 às 16:08

  16. CLÁUDIA RIBEIRO

    OLÁ!

    FIQUEI MUITO TRISTE COM A NOTÍCIA… QUE PAÍS É ESSE???

    agosto 13, 2010 às 08:12

  17. Thais

    Por favor voltar o programa Contos de Fada 20:00 horas
    obrigada.

    agosto 19, 2010 às 18:41

  18. Ate hoje não deram uma solução ?..
    Se não voltar pela tv Cultura ,que outra emisora pegue abraçe esta ideia ..sem este canal de informação da cultura Rap e jovem não podemos ficar !

    agosto 23, 2010 às 13:01

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s