Blog de informações sobre hip hop, rap brasileiro e cultura de rua

Kamau: o guerreiro silencioso do rap

Foto de Ênio César

Foto de Ênio César

“Porque sucesso é caminhada e não a linha de chegada” por Carol Patrocinio

São 12 anos de carreira, uma mixtape solo, lançada em 2005 e o álbum “Non Ducor Duco”, de 2008, além do EP com o Consequência, em 2002, e um disco com o Simples, de 2006. Depois de aparecer como repórter do Yo! MTV Raps – “Eu nunca fui repórter do Yo! A diretora do programa na época, disse que eu podia sugerir as pautas que quisesse e até mesmo fazer parte dessas pautas. Apareci mais duas ou três vezes fora isso por falar inglês e estar por perto na hora” e fazer um freestyle em uma das edições do VMB, Kamau foi indicado para o prêmio de Rap deste ano. E aí, isso muda alguma coisa na correria?

O trabalho do rapper é divulgado do jeito que dá: “Tenho alguns amigos que tem contatos, tenho alguns contatos próprios, uso a internet pra mostrar vídeos e falar sobre o que tenho feito e às vezes sobre o que pretendo fazer. Não tenho métodos mirabolantes de divulgação. Queria ter uma eficácia melhor nesse sentido”, comenta. Mas a indicação só agrega e “muda a visibilidade e a credibilidade com alguns, dentro e fora do rap”. Se liga no papo que a gente bateu com ele.

Per Raps: Muita gente fala sobre o rapper de sucesso como alguém que se vendeu, qual a sua posição em relação a isso?
Kamau: É um pensamento meio egoísta do público, mas não acho que isso seja exatamente a “definição”. O cara que se vende é o que deixa de ser o que era pra ganhar dinheiro. Trai convicções e cai em contradição em busca de retorno estritamente financeiro. Nem todo mundo que faz sucesso se vendeu. Vai me dizer que Racionais não faz sucesso? E nem todo mundo que se vendeu faz sucesso.

Per Raps: Você acredita que a relação da mídia com o rap pode abrir ou fechar as portas?
Kamau: Os dois. Temos que ficar bem espertos em relação à mídia pois na maioria das vezes ela quer nos testar, mesmo quando acha que está ajudando o artista. Entrevistas por telefone, textos (mal) editados, matérias editadas por quem não estava presente. Essas são algumas das armadilhas em que já caímos. Mas existem alguns bem-intencionados que conseguem reproduzir o que dizemos fielmente. Aí vai do artista saber usar o espaço da melhor maneira pra si e pro que ele representa.

Per Raps: Qual a sua relação com o rap pop?
Kamau: Minha relação com a música é simples. Gosto ou não gosto. É assim com o que ouço e com o que faço. Não me apego a rótulos.

Per Raps: Na sua opinião, rap precisa passar uma mensagem ou pode ser apenas diversão?
Kamau: Muitos colocam uma grande responsabilidade no colo do rap sem perguntar se é isso que ele realmente quer. Deixem que a música seja música e absorvam o que ela oferece. Eu tento fazer o que é natural pra mim.

Per Raps: Você já foi repórter do Yo! MTV Raps e teve outras participações na MTV, inclusive fazendo um freestyle em uma das edições do VMB. Qual a sensação de participar agora como indicado a uma categoria de prêmio?
Kamau: Eu nunca fui repórter do Yo! A diretora do programa na época, Tatiana Ivanovici, me chamou pra fazer um teste pra ser o apresentador junto com outros MC’s, quando o KL Jay saiu. Mesmo não tendo sido aprovado pela TV, ela disse que eu podia sugerir as pautas que quisesse e até mesmo fazer parte dessas pautas. Foi assim que sugeri a entrevista com Sabotage em seu primeiro grande show e fiz a matéria sobre novos nomes do Hip Hop no metrô São Bento. Apareci mais duas ou três vezes fora isso por falar inglês e estar por perto na hora.

Ser indicado foi uma surpresa e é uma honra por estar na mesma lista de nomes como Emicida, MV Bill, RZO e Relatos da Invasão. Cada qual tem sua caminhada, seu estilo e sua época. Espero que o rap se sinta bem representado por qualquer um de nós.

Per Raps: Você acha que suas rimas são “difíceis” de se consumir, já que você foi recentemente premiado no Hutuz por um música que já tocava há tempos e agora, após mais de dez anos de carreira, uma indicação na MTV?
Kamau: Muito pelo contrário. Acho que as rimas já caíram no gosto dos ouvintes. Mas as pessoas que coordenam esses prêmios não estão realmente atentas ao que tem acontecido e costumam lidar com o que lhes cai no colo ou o que não tem como evitar. Um bom exemplo disso é o Bill e o Emicida. Tem como negar o barulho que eles tem feito?

Meu nome significa Guerreiro Silencioso. Mas isso não quer dizer que eu não tenha feito barulho. Mas alguns demoraram mais a ouvir.

Per Raps: Quem você acha que leva o prêmio? E quem você acha que mais merece o prêmio?
Kamau: Não sei quem leva. Mas quem corre pelo certo e fortalece realmente o rap merece um prêmio. E existem vários desses.

Per Raps: Quais são os mc’s que não podem deixar de ser ouvidos?
Kamau: Emicida, Parteum, Slim, Pentágono, Brown, MV Bill. E acho que eu também.

Quer votar no Kamau? Corre lá!

Essa semana ainda rola entrevista com todos os indicados ao prêmio, numa parceria do Per Raps com o iG Street. Não perca!

logotwit_radar urbanoNão deixe de acompanhar também o especial que o Radar Urbano está fazendo com os indicados do VMB. O grupo entrevistado da vez é o Relatos da Invasão. Acompanhe um trecho:

Radar Urbano – Quanto aos demais indicados, foi justa a escolha? Faltou alguém? Existe Favorito?

Relatos – Bom, eu Thig vou dar minha opinião sobre o fato confesso que estou meio confuso sobre as indicações e o criterio que eles ultilizaram pois ainda não sei qual tera sido mais enfim. Se o critério for video clipe como de costume, acho que faltou o clipe do Pentágono que também teve estréia na mtv esse ano.

Continue lendo no Radar Urbano.

——–

Ao vivo

Um ano de lançamento do álbum “Non Ducor Duco” e a comemoração de estar entre os 25 melhores discos de 2008, eleitos pela Rolling Stone, além da indicação ao VMB 2009. Um show na Hole, em SP, com o acompanhamento de uma banda.

Guilherme Scabin e Toca Mamberti (guitarra), Sorry (bateria), Filiph Neo (teclado e voz) e J. Mossil (baixo), Erick Jay e Jeffe vão estar ao lado de Kamau para apresentar versões originais de algumas das 17 canções do álbum.

Antes e depois do show, rola discotecagem dos DJs Nyack e Erick Jay.

kamau show

Serviço
Quando? Sábado, 29 de agosto, 23h30
Onde? Hole Club (R Augusta, 2203, Jardins – SP)
Quanto? H: R$ 15 ou R$ 12, M: Vip até 0h; depois R$ 12 e R$ 10

Anúncios

4 Respostas

  1. Loco!! dah hora mesmo a entrevista!!
    e dia 29 vamo tenta cola né!!

    abs!
    @denniannovelli

    agosto 25, 2009 às 17:36

  2. Gusta

    Kamau é foda! Meu voto é pra ele, sem dúvida.

    Ta de parabéns o blog. As matérias com os indicados tao bem classe.

    Abraços

    agosto 27, 2009 às 18:33

  3. Feba

    Concerteza vou chegar……vixi…Kamau é demais.

    E votando tbm pro vmb.

    Abraços.

    Parabéns pelo Blog.

    agosto 28, 2009 às 01:44

  4. danilo

    demoro…NDD melhor album dos ultimos tempos junto com o ruas vazias !!!

    agosto 29, 2009 às 02:35

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s