Blog de informações sobre hip hop, rap brasileiro e cultura de rua

“Não canso de ouvir” com Dj Suissac

Dj Suisac, do Mzuri Sana - Arquivo pessoal

Dj Suisac, do grupo Mzuri Sana - Arquivo pessoal

Nesta edição do “Não canso de ouvir”, o Per Raps traz um dos integrantes do grupo Mzuri Sana, o Dj Suissac. Atualmente, o Dj natural do estado da Bahia, é residente da festa da Colex, que costuma acontecer uma vez por mês na Hole Club, em São Paulo.

Suissac é também responsável por colagens e scratches, além de uma base (do som “Evolução na locução”) no último trabalho de Kamau, o Non Ducor Duco. Esse foi o primeiro beat feito fora do M’Sana. Ele é também dono de uma base clássica de seu grupo, o som “Era uma vez, três”. Confira abaixo os 10 grandes trabalhos que infuenciaram o Dj Suissac. Aproveite!

Grandmaster Flash & The Furious Five – The Message

Foi meu primeiro vinil, comprei quando cheguei em SP. Aqui me aprofundei na cultura e logo virei B-boy em 1991, junto com muitos membros da Cultura Hip-Hop, na São Bento. Difícil escolher só uma música desse álbum, mas aqui vai: The Message.

Africa Bambaataa & Soul Sonic Force – Planet Rock – The Album

Um outro álbum muito importante pra mim foi produzido por Arthur Baker, o próprio Bambaataa e Doug Wimbish (baixista do Living Colour). Outro disco que quando comprei nem tinha nem visto videoclipe nenhum, pois na época nem chegavam videoclipes por aqui. No Brasil, quando assisti na TV, fui à loucura, gravei no VHS e quase queimei meu video cassette de tanto assistir.

Sergio Mendes e Brasil ’66 – Crystal Illusions

Muita gente já ouviu e sampleou. Engraçado é que este vinil foi de um tio meu que mora em Salvador, quando ficou sabendo que tinha virado Dj mandou de presente pra mim. Nunca toquei ele em festa, mas ouvi muitas vezes para ter inspiração, é um clássico. A música deste disco que mais gosto é Viola Enluarada.

Altemar Dutra – Que queres tu de mim

Pra mim esse álbum é inesquecível pois meu falecido pai puxava muito minhas orelhas pedindo pra virar a fita no gravadorzinho dele. Eu engasgava a fita no gravador, pode parecer até chato, já que não queria nem ouvir falar de Altemar Dutra, mas hoje tenho dois vinis dele. Talvez use numa mixtape futuramente pra lembrar do meu velho (risos).

Q-Tip – Move (do álbum The Renaissance)

Essa música, quando o Q-Tip lançou, me veio a mente Michael Jackson. Quando vi o clipe, que presta homenagem ao Rock With You (Off The Wall), achei muito louco. Não poderia deixar de falar desse cara, pois foi o cara que contribuiu para que o Hip-Hop ganhasse o mundo, de alguma maneira. Abriu os olhos de muita gente para a cultura. Obrigado, Michael Jackson!

Diverse com Vast Aire – Big game (do álbum One A.M.)

O álbum é muito bom, mas esse som é o melhor na minha opinião. Lembrei muito do estilo de batida do J Dilla ouvindo o álbum, a forma que é montado e cortado. Acho que o Madlib produziu uma nesse álbum também.

Elzhi com Royce da 5’9” – Motown 25 (do álbum The Preface)

O álbum do Elzhi chegou bem pesado. Esse cara dispensa comentários, também representa o som de Detroit. MC do Slum Village que ouvi pela primeira vez no disco solo do Dilla: Welcome To Detroit.

Grand Agent com Pete Rock – This is what they meant (do álbum Superrappin’ – Vol. 2)

Essa veio numa coletânea que o Parteum me deu de presente. Esse som faz parte do meu set quando saio pra discotecar. A produção do Pete Rock é um arregaço.

Busta Rhymes com P. Diddy e Pharrell – Pass the courvoisier – Part II (Single do álbum Genesis)

Esse é um som que se eu não ouvir pelo menos umas seis vezes por dia é capaz de eu apanhar dos meus filhos no carro. Já saio às seis da manhã ouvindo no caminho da escola, acho legal vê-los cantando a música. O segredo de um bom som está em cair no gosto das crianças. Curto Busta desde os tempos de Leaders of the New School e Scenario com A Tribe Called Quest.

J Dilla/Jay Dee – Circus (da coletânea de instrumentais: Vintage)

Como diz meu parceiro Secreto, J Dilla é uma espécie de Joe Pass do Hip-Hop. Seus sons são inconfundíveis, mas infelizmente ele não está mais entre nós. Particulamente, o som dele que mais escuto, sem desprezar os outros, é esse. Ouvi numa coleção de instrumentais que o Waajeed (Bling 47/PPP) lançou. Tem muitos que não curtiram, mas como dizem, nem Deus agradou todo mundo. Com Dilla não poderia ser diferente. R.I.P. Jay Dee. Junto com o Dj Primo, Sabotage e Michael Jackson.

Dj Suissac - arquivo pessoal

Dj Suissac - arquivo pessoal

Mais em:

http://myspace.com/djsuissac
http://www.mzurisana.com

____________
Destaque

J-Live (NY) na rima - Divulgação

J-Live (NY) na rima - Divulgação

J-Live (NY) @ Festa Chocolate
A partir das 23h
DJs: King, Dubstrong, J-Live
$60 (H) $30(M)
Lista: ro@clashclub.com.br até às 20h de terça (28/07) c/ assunto CHOCOLATE-28/07

*O rapper também passa pelo Rio de Janeiro, na quinta (30/07) e por Florianópolis (SC) no sábado (01/08).

Clash Club (SP)
Rua Barra Funda 969, São Paulo
Tel: 3151-4568

Anúncios

3 Respostas

  1. Sou fã deste cara, ele tem um carisma muito foda!

    julho 29, 2009 às 10:31

  2. Tipo Sammy Davis Jr. Canta, dança e sapateia…(sobre o J-Live)
    Quero ver no Rio como vai ser!!

    julho 29, 2009 às 17:38

  3. hehehe, e AE meu velho tudo na paz ? abraço ,juntão hehe.

    agosto 1, 2009 às 23:07

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s