Blog de informações sobre hip hop, rap brasileiro e cultura de rua

Feira Preta 2008

Sétima edição da Feira Preta ocorreu no último final de semana

Uma visita à Feira Preta 2008, por Wagner Cerqueira* 

“Ta vendo, a gente tem que mudar pra cá logo, assim não precisamos ir embora tão cedo. Você viu como ta bom lá dentro?”

Esta foi uma frase do diálogo de duas negras lindas, cheias de estilo e cabelos bem trabalhados, que voltavam para suas casas ali por volta das 17h15 do último domingo (14). Elas são apenas duas entre centenas de pessoas que vêm do interior de São Paulo, e até mesmo de outros estados, para curtir uma das confraternizações negras mais esperadas da cidade de São Paulo: a Feira Preta.

O evento, presente no calendário da cidade desde 2001, traz diversas atrações musicais (passando por todos os gêneros que representam a cultura negra), exposições, oficinas, saraus e, neste ano, a novidade foi uma série de palestras sobre empreendedorismo, ligada ao programa Qualifica. O programa faz a ponte entre iniciativa privada e produtores de artesanato, com o intuito de melhorar o trabalho de microempresários e empreendedores negros.

Logo na entrada, o público era surpreendido por um baile de black music, claro, que fazia muita gente dançar ao som de clássicos do rap internacional. Entre as mais comemoradas quando lançadas nas pickups do DJ Puff, estavam Dead Wrong, de Notorious B.I.G., e swingadas baladas de R&B que faziam as meninas puxarem seus pares para pista.

Seguindo em frente por um amplo corredor bem decorado, encontramos belas telas do artista plástico Guilherme Scabim, além da exposição cultural e educativa sobre a religião Nagô (Candomblé), recebendo todo o respeito que merece. 

Grupo Umojá durante apresentação

Grupo Umojá durante apresentação (www.umojabrasil.wordpress.com)

Mais à frente, uma malandra, no bom sentido da palavra, e bem representada Roda de Samba, levada pelos Amigos do João e seus convidados. Neste espaço, as negras encantavam a rapaziada com muito samba no pé. Nos intervalos, perdiam o rumo com as rodadas e encaixes de braços dos negros ao som do mais que tradicional samba rock.

Isso sem contar no coro que se fazia quando eram recitados os mais conhecidos sambas da nossa história. Aqueles que marcaram momentos, sejam eles em casa, em festas com a família e amigos ou numa roda de samba pela Bela Vista e arredores.

Logo ao lado, um espaço para o pessoal recarregar as energias. Um pátio dedicado à alimentação do povo, com crepes, hot dog’s e sanduíches sendo vendidos ao público. Refrigerantes, águas, cervejas e batidas hidratavam a galera para voltar ao samba.

Este mesmo local dava vista para o palco principal da festa, o Palco da Preta. Mas, antes de falar disso, vale, e muito, a pena falar de alguns artistas que ali estiveram, como a já’ da casa’ aula de samba do Moskito; um desfile do público que freqüentou a feira, até o som cheio de swing e romantismo de Walmir Borges.

Walmir Borges ainda não é muito conhecido do público em geral, mas é um ídolo entre os adoradores do gênero black. Ele, que já fez parcerias com Alcione, Paula Lima (ele assinou a direção musical do CD Sinceramente e do DVD Samba Chic), Alexandre Pires, Wilson Simoninha (Walmir Borges foi responsável pelos arranjos do DVD MTV Apresenta: Simoninha Canta Jorge Ben Jor, em 2005), e chamou a atenção pela inovação e talento de nada mais nada menos que Philip Bailey, do Earth, Wind and Fire, com quem participou do show aqui em Sampa e de quebra foi convidado para ir a Los Angeles gravar uma música.

Esta prévia do currículo deste grande artista já o apresenta, e bem. Melhor que isso para apresentá-lo foram as canções do seu trabalho solo: “Jóia Rara”, “Casinha de Sapê” e “Favelas do Brasil” estavam em seu repertório, mas a balada e romântica “Morada do Sol” fez com que casais se abrassassem e dançassem juntos ao longo do pátio principal. 

Após este show, veio a atração mais esperada, Dona Ivone Lara. Como o nome propriamente diz, Dona, tomou conta do palco com toda a sua alegria, poesia, experiência e beleza. Isso mesmo. Beleza. Uma jovem senhora bem vestida e maquiada, soltou a bela voz que, como esperado, era acompanhada por quase todos os presentes no pavilhão do Anhembi.

Dona Ivone lara mostrou todo o seu vigor no palco

Dona Ivone lara mostrou todo o seu vigor no palco

Foi mágico presenciar na primeira fila do palco senhoras e senhores aparentando a mesma idade da Dona Ivone Lara, cantando frase a frase, palavra a palavra, letra a letra de todas as músicas que lá em cima do palco eram interpretadas por ela.

A cada final de música ou refrão, uma senhora negra, de cabelos traçados entre pretos e laranja, colocava suas mãos sobre o rosto como se buscasse algum momento de sua vida que estava lá no fundo de suas lembranças, e após alguns segundos, levantava os braços aplaudindo Dona Ivone Lara como se aquele gesto fosse um “Muito obrigado, amiga!”.

E foi assim do inicio até o encerramento da apresentação, com o hino: “Um sorriso negro, um abraço negro/ Traz felicidade/ Negro sem emprego, Fica sem sossego/ Negro é a raiz da liberdade”, cantado por todos e acompanhado somente por dedilhados no violão. Nesse clima amistoso, Dona Ivone Lara se despediu dando a sua grande colaboração para a Feira Preta.

Após esta “missa do samba”, o palco foi fechado pelo show da escola de samba Tom Maior e IIu Oba de Min. Próximo das 22 horas, o público deixou o local satisfeito com o banho de cultura que receberam ali e pela bela festa que participaram.

Ponto positivo: Estrutura montada com reforma do piso do pátio principal, a bela cobertura do ambiente, banheiros sempre limpos e organização do evento.

Ponto negativo: Preço do estacionamento (R$20,00).

 

*Wagner Cerqueira é um parceiro do blog Per Raps, e sempre que pode, sugere pautas e temas para abordarmos. Fizemos o convite para que ele escrevesse sobre a Feira Preta 2008, importante evento que reúne diversos elementos da cultura negra em um mesmo local.

Como os elementos da cultura de rua não faltaram nesta festa, então o Per Raps tem a obrigação de contar seus detalhes. Registramos aqui o nosso agradecimento pela colaboração de Wagner Cerqueira. Obrigado!

Você foi à Feira Preta 2008? Comente o que achou da edição desse ano!

indique-blog

Gostou do blog? Então clique na imagem e vote nele como melhor blog de “Arte e Cultura”! É só fazer o cadastro e participar.

Anúncios

4 Respostas

  1. Cida

    Parabéns pela linda matéria , digna de ser “copiada’ pelo Uol.

    Adorei !!!

    bjus coisa linda!!

    dezembro 17, 2008 às 16:34

  2. karolina m.

    Ah que pena perder a feira preta! Adorei o post, aliás foi o que melhor informou sobre os acontecimentos da feira.
    Parabéns pelo blog, fortalecendo a cultura sempre.É isso aí akomabu!
    Sempre passo por aqui e acho o trabalho de vocês muito, mas muito bom mesmo! Sem rasgação de seda ou puxação de saco, mas gosto de dizer quando gosto de algo.
    Vocês estão no meu blogroll, quando tiverem um tempo dêem uma passada por lá: http://fitak7.wordpress.com, tá no começo mas é sincero e feito com carinho.
    Até mais!
    Fiquem em paz.

    dezembro 18, 2008 às 14:42

  3. fabiana

    olá, adorei o site, toda inicitavidava e válida. Vamos divulgar para mais pessoas.
    um forte abraço
    fabiana

    dezembro 19, 2008 às 15:35

  4. Cristiane

    Parabéns pela matéria, adorei!!!!

    Um beijo
    da Cris!!!!

    dezembro 19, 2008 às 19:23

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s