Blog de informações sobre hip hop, rap brasileiro e cultura de rua

Casa di Caboclo – Casa di Caboclo (2008)

casa-di-caboclo

Boas rimas, boas produções e uma grata surpresa. O álbum de estréia do Casa di Caboclo, lançado neste ano, tem apenas dez músicas, mas é um daqueles que pode ser ouvido do começo ao fim sem que surja aquela vontade incontrolável de avançar a faixa do cd. Formado por MC Crespo, Dj Cris e Léo Cunha, do Studio Casa 1, nas produções, o grupo surge como uma das boas promessas do rap nacional, com uma proposta de misturar o rap à diversos ritmos da música brasileira, especialmente o samba.

A relação com o samba, aliás, tem uma boa explicação. O MC Crespo, fundador do coletivo, é filho do compositor Barbosa, autor do samba “Embaixada de sonho e de bamba” da Mocidade Alegre (vencedor do carnaval de 1980 e eleito em 2000 o melhor samba enredo do século XX de São Paulo), e convive de perto com a música desde pequeno. O MC, que já rimou em uma banda de hardcore, tem outra clara influência: o reggae, revelado pelos dread locks no cabelo e os vocalises disparados ocasionalmente em algumas faixas.

O MC Crespo se inpirou em Wilson Simonal para dar nome ao grupo

O MC Crespo se inpirou em Wilson Simonal para dar nome ao grupo

Apesar do excesso de rimas auto-referentes, que falam bastante da personalidade e da vida do próprio Crespo, ele as utiliza com muita originalidade, sem parecer pedante ou introspectivo demais. Em todo o disco, como ele mesmo diz em uma das músicas, Crespo está “caguetando pensamentos”; falando o que pensa, como pensa, e disseminando suas idéias sobre temas como vagabundagem, relacionamento, o tempo e a moda, entre outros.

Os instrumentais (e a produção em geral) também merecem destaque pelo bom gosto, cuidado e qualidade com que foram feitos. Léo Cunha utilizou samples de vários estilos, de Chico Buarque a Fela Kuti, passando por Jorge Ben e Wilson Simonal. As colagens utilizadas também são uma atração à parte, bem intercaladas com as rimas de Crespo, com diversas frases de filmes dublados, e até uma do prefeito reeleito de São Paulo, Gilberto Kassab, gritando desesperadamente contra um cidadão: “Vagaaaabundo!!!”.

O primeiro som, Gota d’água, é uma apresentação, onde Crespo manda uma idéia que se repete por todo o disco: “Cara feia, inveja, só lamento por você, não gostou então desculpa, é o que eu tenho a oferecer”. A frase pode soar como arrogância em uma primeira análise, mas se revela como franqueza com o passar das rimas.

A faixa seguinte, Som pra vagabundo, é um samba-rap bem animado, coroado por um ótimo refrão, com uma melodia de flauta e uma bela voz feminina anunciando o “som de vagabundo”. Na seqüência, Crespo fala de relacionamentos de uma forma descontraída, mostrando o valor de uma companheira pra deixá-lo Sossegado.  

Max B.O e MC Crespo em show no Zoeira Hip Hop (by Elza Cohen)

Max B.O e MC Crespo em show no Zoeira Hip Hop (by Elza Cohen)

A faixa Casa di Caboblo é mais uma apresentação do grupo, bem pra cima, e conta com a única participação do disco nas rimas: Max B.O, que dispensa apresentações. As músicas O Tempo e Respeito são as mais calmas do álbum, ambas com samples de pianos melancólicos e com rimas mais introspectivas do MC.

Em Rap da Moda, o Casa di Caboclo usa uma base de funk carioca para fazer uma espécie de versão da “Dança do Patinho” (do B Negão e os Seletores de Freqüência). Crespo imagina sua música fazendo sucesso na mídia e todas as mordomias que vêm junto com a fama. No refrão, ele canta: “Cê ta na moda né, é cortesia, cabeleireiro, restaurante, academia”…e esculacha: “Cê decorou? Mas que ironia! Eu sou mais chato do que o das Casas Bahia”.

É só o primeiro trabalho, e o Casa di Caboclo ainda irá evoluir. Mas é impossível hoje não se render ao talento e às rimas do MC Crespo, que prende a atenção com metáforas e idéias bem colocadas, além dos contagiantes beats de Léo Cunha e dos precisos scratches do Dj Cris. O entrosamento prova que, pelo menos para o grupo, não funciona o famoso refrão: “Numa Casa de Caboclo, um é pouco, dois é bom e três é demais”.

Saiba mais do Casa di Caboclo aqui.

Anúncios

3 Respostas

  1. Parabens pelo texto…irei usa- lo…familia penhorada agardece o espaço!!!!!

    Sorte pros loucos a casa é di caboclo

    novembro 30, 2008 às 17:32

  2. sumemo, nego. casa di caboclo é o bixo

    maio 20, 2009 às 02:54

  3. wallasse

    Pq o mc marechal não lança seu propio dvd?
    Eu sou fã de mc marechal, se ele lançasse seu propio dvd, ia ser a melhor coisa para ser reconhecido no brasil todo!

    Flw glr.

    junho 21, 2009 às 17:39

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s