Blog de informações sobre hip hop, rap brasileiro e cultura de rua

Kamau – Non Ducor Duco (2008)

Capa do novo trabalho do MC Kamau, Non Ducor Duco

Capa do novo trabalho do MC Kamau, Non Ducor Duco

Está em todos os lugares. A frase escrita em latim, estampada no brasão da cidade de São Paulo – “Non Ducor Duco“, em português: “Não sou conduzido, conduzo” –, circula nos ônibus pelos quatro cantos da Capital e funciona como propaganda gratuita do trabalho solo do rapper Kamau, lançado recentemente.

Além disso, representa com propriedade o conteúdo das letras, que relatam o cotidiano, os anseios e as armadilhas que perseguem aqueles que vivem numa cidade grande como SP, sem contar o próprio significado ideológico que a frase carrega.

Radicado na zona norte, mais precisamente no bairro do Tucuruvi, Kamau coroa, com o novo álbum, um ciclo de dez anos de ativismo dentro do hip hop, que se iniciou com o grupo Conseqüência, ao lado de Sagat e do Dj Ajamu. De lá pra cá, lançou uma mixtape e um cd pelo grupo Simples.

Pode parecer pouco para dez anos, mas os trabalhos lançados tornam-se meros detalhes para quem conhece a história do mc, que foi um dos precursores do ‘freestyle’ no Brasil (tendo participado inclusive da Academia Brasileira de Rimas), fez parte da primeira formação do grupo carioca Quinto Andar, do coletivo paulista Instituto, dezenas de participações em cd’s de outros grupos e ainda perambulou por festas de todo o país figurando como um dos maiores mestres de cerimônias brasileiro.

Depois de tanto tempo ‘por aí’, Kamau se encontrou como nunca em Non Ducor Duco. Sozinho, o rapper atingiu o auge de sua forma, com algumas letras bem pessoais e outras mais abrangentes. Estar sozinho (sem esquecer a companhia de Dj Primo, que risca na maioria das faixas), aliás, é o tema da primeira música do álbum, intitulada , que foi modificada de uma versão que já havia chegado aos ouvidos dos fãs há algum tempo, divulgada pelo site de um jornal. Com um sample de piano e produzida pelo próprio emcee, a faixa marca o início da carreira solo do rapper, com uma letra que fala justamente sobre isso, auto-suficiência.

O destaque da faixa seguinte, Evolução na Locução, fica por conta do jogo de rimas de Kamau com os nomes de outras músicas do rapper, desde a época do Conseqüência. “Viro a página com lágrimas, mas sem manchar o título, evolução do Prólogo ao próximo capítulo”.

Ótimas participações também agregam valor ao disco. Em Porque eu Rimo, os MCs Rashid, Stephanie e Emicida acompanham Kamau em depoimentos que expressam os motivos de rimar de cada um. Emicida volta à cena em Komwé, dedicada aos “mutante de zóio grande, língua comprida”, que gostam de se preocupar com a vida alheia.

A faixa Dominium, que deveria ser mais uma dos Dominantes, contou com a participação de Parteum, mas teve o desfalque de Rick, que está morando no sul e não conseguiu gravar. Kl Jay também chegou com seus toca-discos e ótimas colagens no final de Resistência, uma ode ao hip hop, com beat de Nave, de Curitiba (PR), e Carlus Avonts nos versos.

Parte de Mim é mais uma música pessoal e uma das melhores do CD. Com a refinada produção de Parteum, o beat remete a um ambiente futurista, com uma linha de baixo marcante. Apesar do clima ‘alternativo’ do álbum, podia tocar perfeitamente na pista.

Mais três faixas garantem o alto nível do disco: a excelente Vida, inspirada no ditado latim “Carpe Diem”, com produção de Munhoz e a voz de Rael da Rima, do Pentágono, no refrão. A letra, que aborda também o tema da morte de pessoas queridas, acabou se tornando, inconscientemente, um tributo ao Dj Primo, que faleceu na madrugada dessa segunda-feira. “Preferia não ter que escrever uma dessa, nosso mundo ainda gira, mas faltando uma peça”; Equilíbrio, que fala da incessante busca por ele e tem um refrão cantado por Jeffe no melhor estilo rap; e A quem possa interessar, mais uma ótima letra de Kamau, numa homenagem a todos aqueles que correm atrás dos seus objetivos.

Enfim, Non Ducor Duco é um ótimo disco de rap nacional com boas produções e muito conteúdo, em meio a uma safra recente pouco produtiva. Compre já o seu!

Kamau – Só (Non Ducor Duco)
http://raps.podomatic.com/enclosure/2008-11-17T16_37_57-08_00.mp3″

Anúncios

2 Respostas

  1. K amau, parabéns pelo ótimo álbum!!!!
    Acompanho seu trabalho desde a época do Consequencia.

    Parabéns pelo conteúdo das letras!!!! O rap nacional precisa de letras com conteúdo.Sou professor e curto trabalhar as letras de rap na sala de aula.A galera pira…..

    UM FORTE ABRAÇO.
    MUITA PAZ!!!!

    dezembro 22, 2008 às 21:43

  2. Jefferson

    Kamau …….. The Master !

    abril 13, 2009 às 22:10

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s